for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Estátua da Pequena Sereia em Copenhague é vandalizada com a frase "peixe racista"

"A Pequena Sereia", estátua de bronze dinamarquesa, amanhece com inscrições anti-racistas 03/07/2020 Ritzau Scanpix/Mads Claus Rasmussen via REUTERS

COPENHAGUE (Reuters) - A Dinamarca acordou nesta sexta-feira com as palavras “peixe racista” rabiscadas na base da “Pequena Sereia”, estátua de bronze em homenagem ao famoso conto de Hans Christian Andersen, que fica em uma rocha no mar em Copenhague.

A polícia disse que ainda não identificou os autores. A escultura de 107 anos, que é visitada por um milhão de turistas a cada ano, já foi vandalizada antes, inclusive por ativistas anti-caça a baleias e ativistas pró-democracia, sendo decapitada por duas vezes.

“Consideramos vandalismo e iniciamos uma investigação”, disse um porta-voz da polícia de Copenhague.

Manifestantes do movimento “Black Lives Matter” em todo o mundo protestaram nos últimos meses contra estátuas de figuras históricas que tiveram participação na opressão racista, como comerciantes de escravos e colonialistas.

A Pequena Sereia não entrou neste debate, mas no ano passado um remake live action da Disney do filme de animação de 1989 com o mesmo nome foi objeto de controvérsia depois que a atriz afro-americana Halle Bailey foi escolhida para o papel central.

“Estou tendo dificuldades para ver o que é particularmente racista no conto de fadas ‘A Pequena Sereia’”, disse Ane Grum-Schwensen, pesquisadora do Centro H.C. Andersen da Universidade do Sul da Dinamarca, ao canal de notícias local Ritzau.

Reportagem de Nikolaj Skydsgaard

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up