for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Diretor australiano encara quarentena dupla de Covid para ir ao festival de Veneza

Diretor australiano Roderick MacKay 04/09/2020 REUTERS/Yara Nardi

VENEZA (Reuters) - O diretor australiano Roderick MacKay enfrentou restrições da Covid-19 para fazer uma viagem “intimidante” ao Festival Internacional de Cinema de Veneza, onde seu primeiro longa-metragem, “The Furnace”, estrearia nesta sexta-feira.

MacKay teve que conseguir uma autorização das autoridades da Austrália para deixar o país e ficar em quarentena em Roma durante duas semanas antes de viajar a Veneza --e voltará a entrar em quarentena quando voltar para sua terra natal.

“Viajar neste momento da história é um tanto intimidante por qualquer motivo”, disse em uma entrevista o cineasta de 33 anos, que filmou sua jornada e seu autoisolamento com o celular para a Reuters.

“Mas fazer isso, ir para um festival de primeiro escalão como Veneza, ver seu primeiro filme estrear na arena mundial certamente é toda uma outra camada de intimidação”, disse, acrescentando que está feliz e honrado por estar no festival de cinema mais antigo do mundo.

“The Furnace”, que está na mostra Horizontes e não participa da competição principal, conta a história pouco conhecida dos condutores de camelos levados pelo império britânico da Índia, do Afeganistão e da Pérsia à Austrália na segunda metade do século 19 e do povo aborígene local com o qual fizeram amizade.

O festival de Veneza é o primeiro evento internacional do gênero a fazer exibições para plateias desde que a pandemia de coronavírus praticamente congelou o mundo do cinema, e vai até o dia 12 de setembro.

Por Hanna Rantala

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up