for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Casa de leilões dos EUA retira manuscrito de conquistador espanhol após reclamação do México

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - Uma casa de leilões dos Estados Unidos interrompeu a venda de um manuscrito do século 16 vinculado ao conquistador espanhol Hernán Cortés depois que pesquisadores disseram que ele provavelmente foi roubado dos arquivos nacionais do México.

O documento, datado de 1521, era uma ordem da realeza para Cortés, o líder de uma força espanhola que colonizou o que é o México moderno, e Pedro de Alvarado, a quem o texto identifica como prefeito de Tenochtitlán, a capital do império asteca.

A casa de arte Swann Auction Galleries, de Nova York, anunciou a venda do documento em seu site com uma faixa de preço entre 20.000 e 30.000 dólares para um leilão planejado para 24 de setembro.

Mas na quarta-feira a casa de leilões informou à Reuters que a galeria “vai retirar este lote do leilão”. Não disse se o manuscrito seria devolvido ao México.

O anúncio da galeria ocorreu dias depois que três pesquisadores mexicanos e um colega da Universidade de Valladolid, na Espanha, levantaram preocupações sobre a procedência do manuscrito e alertaram as autoridades mexicanas em uma tentativa de impedir a venda.

Os pesquisadores disseram que a imagem do manuscrito no site da Swann era semelhante a outra tirada em 2010 por um estudioso espanhol de Cortés quando o documento estava no Arquivo Geral da Nação do México.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up