for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Rapper T.I. pagará US$75 mil em acordo sobre oferta de criptomoeda

WASHINGTON (Reuters) - O rapper Clifford Harris, conhecido como T.I, vencedor do Emmy, concordou em pagar 75.000 dólares para um órgão regulador dos EUA, após acusações de que teria violado leis de segurança ao vender investimentos fraudulentos em criptomoedas, disse a agência, nesta sexta-feira.

A Securities and Exchange Commission (SEC) disse que havia denunciado o rapper e ator de Atlanta, ao lado de quatro associados, incluindo o produtor cinematográfico Ryan Felton, que, segundo o órgão, controla as empresas FLIK e CoinSpark que conduziram as propostas iniciais das moedas que T.I. promoveu.

T.I. não admitiu e nem negou as descobertas da SEC, segundo o órgão. Seu advogado Henry E. Mazurek afirmou que T.I. se arrependeu de ter se envolvido com Felton, quem T.I. acreditava ser um empresário local tentando facilitar a entrada de novos artistas na indústria da música.

O rapper “nunca recebeu um dólar do empreendimento falido do senhor Felton e imediatamente retirou seu nome dele, assim que descobriu que o projeto não havia se desenvolvido”, disse Mazurek, acrescentando que T.I. cooperou totalmente com a investigação da SEC.

T.I., de 39 anos, é conhecido pelos hits de 2008 “Whathever You Like”, “Live Your Life” e “Swagga Like Us”, e foi um destaque do sigle de Robin Thicke, “Blurred Lines”, em 2013.

A SEC alegou que T.I., em 2017, promoveu e vendeu moedas da FLiK, em suas contas nas redes sociais, falsamente alegando ser um coproprietário da FLiK e pedindo que seus seguidores investissem nas moedas.

Por Mohammad Zargham e Michelle Price; reportagem adicional de Katanga Johnson e Nate Raymond

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up