for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Premiação virtual do Emmy desperta curiosidade para domingo

Apresentador Jimmy Kimmel durante abertura da 68ª edição do Emmy em Los Angeles 18/09/2016 REUTERS/Mike Blake

LOS ANGELES (Reuters) - A Califórnia pode estar em chamas e os Estados Unidos no meio de uma pandemia de coronavírus, mas Hollywood espera que possa haver algum respiro em uma festa --embora à distância-- na entrega dos prêmios Emmys de domingo.

A principal premiação da televisão vai acontecer em uma cerimônia virtual ao vivo, apresentada por Jimmy Kimmel, mas sem uma audiência de celebridades ou tapete vermelho, após seis meses de isolamento, sem shows ao vivo e uma temporada perdida de filmes.

“A televisão realmente tem dominado e ajudado as pessoas nos últimos seis meses de pandemia. Portanto, talvez haja um sentimento de querer ver como essas coisas que descobrimos durante a quarentena, ou assistimos novamente, se sairão no domingo”, disse Gerrad Hall, editor sênior de TV da Entertainment Weekly.

Os produtores do Emmy dizem que descartaram o manual do programa de premiação e estão buscando algo divertido e inesperado, embora cientes dos incêndios florestais, da pandemia e de uma campanha eleitoral presidencial divisiva.

“Estamos tentando fazer este show tendo como pano de fundo muitas coisas que estão acontecendo neste país”, disse o coprodutor Ian Stewart aos repórteres.

A televisão provou ser uma fuga para milhões durante o isolamento, mas muitos dos programas do Emmy estão longe de ser fúteis, em uma programação que é mais forte do que nunca na diversidade.

“Watchmen”, baseado em uma história em quadrinhos, mas repleto de temas de injustiça racial, lidera o número de indicações com 26 e deve terminar como um dos maiores vencedores da noite.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up