for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Inspiração do filme “Hotel Ruanda” tem pedido de fiança negado pela 2ª vez

Paul Rusesabagina em tribunal de Kigali 14/09/2020 REUTERS/Jean Bizimana

KIGALI (Reuters) - Paul Rusesabagina, retratado como herói em um filme de Hollywood sobre o genocídio de Ruanda em 1994 e, agora, sendo julgado por terrorismo, teve seu pedido de fiança negado nesta sexta-feira pela segunda vez, com o juiz alegando que ele poderia escapar.

“Ele não admite que é ruandês; se for libertado, pode fugir para o lugar que chama de lar”, disse o juiz Adolphe Udahemuka em uma audiência na capital Kigali.

Rusesabagina, um cidadão belga que residia nos Estados Unidos, também teve sua fiança negada no mês passado, apesar de prometer não tentar fugir de Ruanda durante o julgamento, no qual ele poderá pegar prisão perpétua se for condenado.

O dissidente político, que diz ter sido enganado para retornar a Ruanda, se recusou a declarar-se culpado de 13 acusações que enfrenta e exigiu que seja autorizado a recorrer de cada uma das acusações em separado.

Na quinta-feira, a família de Rusesabagina convocou os Estados Unidos, a União Europeia e a Bélgica a apelar por sua libertação da prisão.

Eles dizem que ele teve sua escolha de advogados de defesa negada e que sua equipe de defesa foi nomeada pelo governo.

Rusesabagina permaneceu em silêncio no tribunal depois que o pedido de fiança foi negado pela segunda vez. Ele havia solicitado fiança por motivos de saúde, dizendo que está doente e tem histórico de trombose, câncer e doenças relacionadas à pressão arterial.

Reportagem de Giulia Paravicini

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up