for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Primeiro romance policial de Agatha Christie completa 100 anos

Escritora Agatha Christie é vista aqui em imagem não datada Cortesia de BritBox/BBC Studios/Divulgação via REUTERS.

LONDRES (Reuters) - Foi em parte graças a uma aposta com sua irmã que Agatha Christie escreveu seu primeiro romance policial, e 100 anos desde que foi publicado o livro continua mais popular do que nunca.

Christie tinha 30 anos quando, em fevereiro de 1920, “O Misterioso Caso de Styles” foi publicado em série em um jornal britânico. O livro foi publicado no continente americano em outubro e no ano seguinte no Reino Unido.

Agora, de acordo com o Guinness World Records, Christie é a escritora de ficção mais vendida do mundo. Seus romances policiais venderam 2 bilhões de cópias.

“Ela realizou isso na época em que as mulheres não faziam realmente esse tipo de coisa. E eu acho isso extraordinário”, disse seu bisneto James Prichard à Reuters em uma entrevista por Zoom.

Prichard afirmou acreditar que Christie, que morreu em 1976, não esperava ganhar a vida como escritora. Isso mudou quando uma aposta com sua irmã a levou a escrever “O Misterioso Caso de Styles”.

“A história é que surgiu uma aposta com a irmã dela, que apostou que ela não poderia escrever um livro e publicá-lo. Acho que ela ganhou a aposta”, disse Prichard.

Famosa por personagens como o detetive belga Hercule Poirot e a detetive amadora Miss Marple, o sucesso de Christie se deve às “tramas engenhosas” que ela mapeou em sua cabeça, segundo Prichard.

Christie também escreveu 19 peças, das quais a mais famosa, “The Mousetrap” (A Ratoeira), estreou em 1952 e deixou de ser exibida pela primeira vez em março devido à pandemia.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up