for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Museu do Prado retira obra de exposição feminina após descobrir que autor é homem

Visitantes observam pinturas no Museu do Prado, em Madri 06/06/2020 REUTERS/Juan Medina

MADRI (Reuters) - O Museu do Prado, em Madri, retirou subitamente uma pintura do Século 19 de uma exposição com obras de artistas mulheres espanholas na quarta-feira após uma investigação online mostrar que a pintura em questão na verdade era de autoria de um homem.

A exibição “Invitadas” (“Convidadas”), foi inaugurada na semana passada com o objetivo de refletir sobre o papel desempenhado pelas mulheres na arte espanhola entre 1833 e 1931.

A exposição temporária de 134 obras --a primeira do Prado desde que as galerias espanholas reabriram em junho após um lockdown nacional por causa do coronavírus-- incluía uma pintura em tela mal preservada intitulada “Cena de Família” da artista andaluz Concepción Mejía de Salvador.

Orgulhosamente exposta em uma sala própria, a pintura, que mostra três mulheres levantando os olhos das tarefas domésticas para observar um velho se despedindo de um menino tristemente, deveria enfatizar a histórica marginalização das artistas mulheres.

Mas a blogueira Concha Diaz, que escreve sobre artes, suspeitou imediatamente da autoria da pintura e rastreou os registros históricos até chegar à verdade identidade da obra: “A Partida do Soldado”, de Adolfo Sánchez Mejía.

A distinta assinatura do artista no canto inferior direito deu a prova final.

Ao agradecer Diaz por seu trabalho, o Museu do Prado disse que o equívoco enfatiza a necessidade de mais pesquisas sobre as artistas mulheres de séculos passados.

Reportagem de Nathan Allen

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up