for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

"O Grande Gatsby" reestreia em Londres com distanciamento social na plateia

Atores reagem ao final da reestreia de o "Great Gatsby", em Londres 22/10/2020 REUTERS/John Sibley

LONDRES (Reuters) - Em meio aos ternos elegantes e aos vestidos glamorosos típicos dos anos 1920, o acessório da moda de 2020 --máscara-- se destacou com o distanciamento social para a reestreia de “O Grande Gatsby” no West End de Londres na noite de quinta-feira.

Medidas rígidas contra a Covid-19 estavam em vigor no edifício de Mayfair que abriga o musical. Os espectadores registraram a entrada com um aplicativo, passaram por medições de temperatura, higienizaram as mãos e se sentaram em mesas devidamente espaçadas para assistir o espetáculo.

Apesar das medidas, era palpável que o público apreciou a história situada no mundo do milionário Jay Gatsby criado pelo escritor norte-americano F. Scott Fitzgerald.

“Chorei até não poder mais no final”, disse a espectadora Jess Pether. “Ver pessoas se apresentando depois de tanto tempo me encheu a alma. Encheu meu coração. Foi ótimo.”

Teatros, salas de concerto e outros locais de entretenimento do West End londrino foram fechados em março para deter a proliferação do novo coronavírus.

Os produtores de “O Grande Gatsby”, um dos primeiros espetáculos a voltar, esperam servir como modelo para que outras produções em dificuldades consigam começar a reabrir as portas.

No final da apresentação, um ator subiu em uma mesa para dizer que o elenco não poderia se aproximar da plateia durante o momento de agradecimento normalmente interativo do show porque seria ilegal, arrancando risadas do público.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up