for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

CORREÇÃO-Spike Lee muda de direção com musical sobre viagra

Cineasta Spike Lee 09/02/2020 REUTERS/Eric Gaillard

(Corrige reportagem publicada dia 17/11 para mostrar que Lee já havia dirigido um musical)

LOS ANGELES (Reuters) - O diretor norte-americano Spike Lee, conhecido por fazer filmes sobre a experiência de ser negro nos Estados Unidos, está mudando de curso com um musical sobre o medicamento viagra.

Lee irá dirigir o filme ainda sem título que co-escreveu sobre a descoberta e o lançamento do remédio para disfunção erétil. O roteiro é baseado em um artigo de 2018 da revista Esquire intitulado “Todos de Pé”, disseram os produtores na terça-feira.

As canções originais e a música serão escritas pela dupla responsável pelo musical “Passing Strange”, vencedor dos prêmios Tony de 2008, sobre a jornada de autodescoberta de um artista negro.

O diretor de 63 anos disse em nota que cresceu odiando musicais, apesar dos esforços de sua mãe. “Finalmente, chegando em minha quarta década como cineasta eu irei dirigir um MUSICAL DANÇANTE E CANTANTE”, acrescentou Lee.

Lee também dirigiu um musical em 1988, “School Daze”.

O viagra, da farmacêutica Pfizer Inc, lançado em 1998, foi desenvolvido originalmente como um potencial tratamento para dores torácicas relacionadas a problemas cardíacos.

Lee venceu seu primeiro Oscar em 2019 pelo roteiro de “Infiltrado na Klan”, filme no qual satiriza a Ku Klux Klan. Seus mais de 50 filmes e documentários incluem clássicos como “Faça a Coisa Certa”, “Malcolm X” e o drama de sobreviventes da Guerra do Vietnã lançado neste ano “Destacamento 5 Bloods”.

Reportagem de Jill Serjeant

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up