13 de Setembro de 2017 / às 16:30 / em 2 meses

Kremlin diz que polícia controlará extremistas irritados com filme sobre caso de czar

MOSCOU (Reuters) - O Kremlin disse nesta quarta-feira que ataques e ameaças antes do lançamento de um nove filme sobre um caso entre uma jovem bailarina e o último czar da Rússia são inaceitáveis e que a polícia não irá tolerar nenhum comportamento extremista.

Peskov, porta-voz do Kremlin 24/5/2017 REUTERS/Sergei Karpukhin

“Matilda”, que será lançado internacionalmente no final de outubro, conta a história do romance do final do século 19 entre Nicolau 2º, antes de se tornar czar, e a dançarina Matilda Kshesinskaya, que descreveu o relacionamento em seu livro de memórias.

A principal rede de cinemas da Rússia disse na terça-feira que não exibirá o filme, após receber ameaças de ativistas religiosos e nacionalistas que o consideram desrespeitoso.

“Não há qualquer dúvida de que toda ação extremista será interrompida pela polícia”, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, a repórteres.

Reportagem de Vladimir Soldatkin

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below