for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Líder de grupo anti-assédio Time's Up renuncia por questões familiares

Lisa Borders em Nova York 05/02/2019 REUTERS/Carlo Allegri

(Reuters) - A presidente e executiva-chefe do Time’s Up, um grupo dedicado a combater a discriminação e o assédio sexual no ambiente de trabalho, renunciou para se concentrar em questões familiares não reveladas, informou o Time’s Up na segunda-feira.

“É com grande tristeza que preciso renunciar da Time’s Up para cuidar de questões familiares que exigem minha atenção total”, disse Lisa Borders em um comunicado.

A gerente-chefe de operações, Rebecca Goldman, atuará como executiva-chefe interina enquanto a Time’s Up procura uma substituta, disse o grupo.

A Time’s Up foi criada em 2017, em meio a uma onda de reportagens da mídia dos Estados Unidos sobre acusações de agressão e assédio sexual de homens ricos e poderosos da mídia, do entretenimento e da política.

O grupo ganhou destaque durante a transmissão do Oscar de março de 2018, em que celebridades usaram broches da Time’s Up e apresentadores da cerimônia advogaram a causa.

As hashtags #TimesUp e a já existente #MeToo vêm sendo usadas para estimular o ativismo a favor dos direitos das mulheres nas redes sociais.

A Time’s Up criou um fundo de defesa legal para ajudar aquelas que sofreram assédio sexual e retaliação e estabeleceu parcerias com outros grupos para promover a conscientização sobre os direitos no ambiente de trabalho.

Por Daniel Trotta

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up