February 27, 2019 / 11:38 PM / 8 months ago

Músico israelense de origem iraquiana conquista fãs de Tel Aviv a Bagdá

Cantor israelense Dudu Tassa se apresenta em Tel Aviv 14/02/2019 REUTERS/Ronen Zvulun

TEL AVIV/BAGDÁ (Reuters) - Cantando em árabe, um músico israelense está conquistando fãs de Tel Aviv a Bagdá, interpretando músicas de seu avô e tio avô, uma dupla de judeus iraquianos que já foram dois dos artistas mais famosos do mundo árabe.

O novo álbum de Dudu Tassa, El-Hajar, que significa “exílio” em árabe, é uma mistura de versões modernas das melodias popularizadas por seus antepassados, os falecidos Daoud e Saleh al-Kuwaiti, que fugiram do Iraque para Israel há cerca de 70 anos.

“Lá, eles era donos de uma boate e tocavam em grandes salas de espetáculos”, disse Tassa, acrescentando que a música de seu avô era adorada por Faiçal II, o último rei do Iraque.

A família do músico está entre as dezenas de milhares de judeus iraquianos que fugiram em meados do século 20 para Israel, cuja criação em 1948 e sucessivas vitórias sobre Exércitos árabes causou ondas de raiva popular e violência contra judeus.

Saddam Hussein ordenou que os nomes dos irmãos Kuwaiti fossem removidos dos arquivos nacionais iraquianos após chegar ao poder em 1979, disse Tassa.

Hoje, cerca de 600 mil israelenses, de uma população de cerca de 9 milhões, podem reivindicar uma certa origem iraquiana— um traço da história que Tassa e sua banda, Os Kuwaitis, têm levado à luz por meio de seus três álbuns cantados em árabe.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below