for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Fãs farão fila a partir da meia-noite para comprar sequência de "O Conto da Aia"

LONDRES (Thomson Reuters Foundation) - Centenas de fãs britânicos e norte-americanos de Margaret Atwood devem fazer fila a partir da meia-noite para serem os primeiros a comprar a sequência de seu romance best-seller distópico “O Conto da Aia” --um dos eventos culturais mais ansiosamente aguardados do ano.

Escritora Margaret Atwood 11/03/2018 REUTERS/Fred Thornhill

“The Testaments” já entrou na lista final de um dos prêmios literários mais prestigiosos do mundo mesmo antes de seu lançamento, na terça-feira, em Londres, que deve ser transmitido em 100 cinemas de todo o mundo.

Nele, Margaret retoma a história de 1985 sobre um futuro totalitário no qual mulheres férteis são sujeitadas à servidão sexual para repovoar um mundo às voltas com um desastre ambiental, e que se tornou uma série de televisão popular.

“Publicações deste nível são poucas e espaçadas”, disse Bea Carvalho, compradora de títulos de ficção da rede de livrarias britânica Waterstones, que dará uma festa de lançamento à meia-noite na capital inglesa durante a qual a autora lerá trechos de sua nova obra.

“Este é, de longe, o maior lançamento do ano e um de seus maiores momentos culturais”, disse ela à Thomson Reuters Foundation.

Várias outras livrarias do Reino Unido e dos Estados Unidos também abrirão tarde para aqueles que esperam ter um primeiro vislumbre do romance.

A escritora canadense provocou empolgação e especulação ao anunciar, em novembro do ano passado, que estava trabalhando em “The Testaments”, que se passa 15 anos após o final ambíguo de “O Conto da Aia” no Estado totalitário fictício de Gilead.

“Tudo que vocês sempre me perguntaram sobre Gilead e seus mecanismos internos é a inspiração deste livro”, explicou.

“A outra inspiração é o mundo em que estamos vivendo.”

A editora montou um esquema de segurança rígido --críticos receberam cópias do livro com título e capa falsos--, mas o sigilo a respeito da trama do livro foi violado quando a Amazon despachou algumas cópias em pré-venda por acidente.

Na semana passada, foi anunciado que ele já é um dos finalistas do Booker Prize. O presidente do júri, Peter Florence, o elogiou por ser “uma novela selvagem e linda que nos fala hoje com convicção e poder.”

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up