for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

De sede do Eurovision a hospital de campanha, arena de Roterdã muda de tom

Casa de shows Ahoy, em Roterdã, Holanda 30/03/2020 REUTERS/Piroschka Van De Wouw

HAIA (Reuters) - A casa de shows Ahoy de Roterdã estava se preparando para o brilho e o glamour do festival Eurovision no próximo mês, mas nesta quarta-feira abriu suas portas para médicos ao tornar-se o mais novo centro de atendimento de pacientes com coronavírus da Holanda.

O local tem capacidade para 680 leitos hospitalares em seu salão, normalmente utilizado para shows, feiras e eventos esportivos internacionais, e os primeiros 80 já foram instalados.

“Nós construímos a estrutura nas últimas duas semanas e agora estou organizando todos os enfermeiros e médicos que vão trabalhar aqui”, disse à Reuters o diretor do recém-batizado Care Care Ahoy, Hugo Keuzekamp.

A abertura para pacientes deve ocorrer na segunda-feira, afirmou ele, e o local tratará pessoas com coronavírus ou outras doenças que não exijam internação hospitalar.

O número de infecções por coronavírus na Holanda aumentou rapidamente desde o primeiro caso, em 27 de fevereiro, superando 28.000 na quarta-feira, com mais de 3.100 mortes.

Mas, nos últimos dias, as internações caíram para menos de 200 por dia, levando a especulações de que o Ahoy talvez não precisasse receber nenhum paciente.

“Bem, isso seria uma boa notícia, porque ... significaria que o nosso sistema (existente) de assistência ... está conseguindo lidar com a situação”, disse Saskia Baas, dos serviços de saúde de Roterdã-Rijmond.

Reportagem de Esther Verkaik

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up