for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Rei emérito Juan Carlos deixa a Espanha em meio a investigação

Rei emérito da Espanha Juan Carlos em Luxemburgo 04/05/2020 REUTERS/Francois Lenoir

MADRI (Reuters) - O rei emérito da Espanha Juan Carlos disse a seu filho, o rei Felipe, que decidiu deixar o país, informou a Casa Real na segunda-feira, depois que surgiram alegações de corrupção sobre ele nas últimas semanas.

Em junho, a Suprema Corte espanhola abriu uma investigação sobre envolvimento de Juan Carlos em um contrato ferroviário de alta velocidade na Arábia Saudita, após o jornal suíço La Tribune de Geneve informar que ele havia recebido 100 milhões de dólares do rei saudita.

Através de seu advogado, Juan Carlos, de 82 anos, se recusou a comentar as alegações.

“Guiado pelo meu desejo de fazer o melhor para servir ao povo espanhol, suas instituições e a você como rei, estou lhe informando da minha ... decisão de deixar a Espanha neste momento”, afirmou o palácio ao citar a carta de Juan Carlos para o rei.

O rei Felipe agradeceu a Juan Carlos pela decisão, ressaltando “a importância histórica que o reinado de seu pai representa” para a democracia na Espanha.

Ele também reafirmou “os princípios e valores nos quais se baseia a democracia de acordo com nossa Constituição e estrutura legal”.

Os monarcas espanhóis têm imunidade durante o reinado, mas Juan Carlos abdicou em 2014, deixando-se potencialmente vulnerável a acusações.

O rei Felipe pôs fim a uma pensão do palácio ao pai e renunciou à própria herança em março, após alegações sobre contas secretas no exterior.

Reportagem de Joan Faus e Andrei Khalip

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up