for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Funcionários da Hugo Boss só trabalharão de 3ª a 5ª no escritório, mesmo após coronavírus

Pedestre passa por loja da grife alemã Hugo Boss 23/04/2016 REUTERS/Grigory Dukor

BERLIM (Reuters) - A Hugo Boss só exigirá que muitos funcionários trabalhem no escritório de terça a quinta-feira, mesmo após a pandemia de coronavírus, oferecendo a opção de trabalho remoto às segundas e sextas-feiras, informou a marca de moda alemã nesta quarta-feira.

A Hugo Boss disse que tomou a decisão depois que uma pesquisa interna mostrou que a maioria das pessoas se sentia menos estressada trabalhando em casa durante a pandemia e tinha mais tempo para suas famílias, enquanto os gerentes também estavam muito satisfeitos com o trabalho feito remotamente.

“O futuro pertence a combinações personalizadas de trabalho”, disse Jochen Eckhold, diretor de recursos humanos. “Nosso modelo de trabalho híbrido atende ao desejo crescente dos funcionários por opções alternativas de programação e localização.”

A empresa afirmou que três dias no escritório permitem que reuniões e eventos sejam agendados de forma mais eficaz, enquanto aumenta o atrativo do grupo como empregador e protege o meio ambiente ao reduzir o deslocamento diário.

A nova programação estará disponível inicialmente a partir de outubro para cerca de 3.200 funcionários na Alemanha cujos cargos não requerem presença física no escritório, mas a Hugo Boss espera que modelos semelhantes sejam adotados em suas subsidiárias ao redor do mundo.

A Hugo Boss, conhecida por seus ternos masculinos elegantes, disse no início deste mês que espera que a demanda por ternos e roupas formais retorne à medida que os isolamentos diminuam, após as vendas despencarem 59% no segundo trimestre.

Reportagem de Emma Thomasson

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up