10 de Maio de 2008 / às 00:46 / em 10 anos

Leilão de jóias de Lily Marinho desafia "crise econômica"

Por Stephanie Nebehay

GENEBRA/SÃO PAULO (Reuters) - Os leilões de jóias e relógios raros que acontecem na semana que vem em Genebra, incluindo a coleção da viúva de Roberto Marinho, Lily de Carvalho Marinho, jogam por terra a idéia de que a desaceleração econômica global pode afetar o mercado de luxo.

A Christie’s e a Sotheby’s realizam leilões de jóias na cidade suíça depois de dois enormes diamantes terem encalhado na tentativa de venda ocorrida em abril em Hong Kong.

Mas especialistas das duas casas de leilões dizem acreditar que colecionadores e negociantes continuam ávidos por itens únicos, especialmente diamantes coloridos e pedras preciosas históricas. No ano passado, raros diamantes lapidados obtiveram preços recordes.

“Há uma crise do subprime (hipotecas de risco nos EUA), e milhares de banqueiros perderam seus empregos, mas este mercado (de arte) desafia as leis da economia. Nossas vendas subiram até 6 por cento neste ano, com preços recordes”, disse François Curiel, presidente da Christie’s na Europa, na sexta-feira a jornalistas.

“As pessoas estão tentando diversificar seus portfólios, e nossos clientes também vêem as obras de arte como uma proteção contra a inflação”, disse Curiel à Reuters.

Entre os destaques dos leilões está um diamante azul de 13,39 quilates, o maior do gênero já leiloado, com valor previsto de 6 a 8 milhões de dólares. Um diamante amarelo em forma de coração, de 21,4 quilates, pode alcançar 2,8 milhões de dólares.

Na venda de relógios da Sotheby‘s, no domingo, o destaque é um cronômetro de pulso Patek Philippe, conhecido como “Trossi Leggenda”. Descrito como “quase certamente único” pela casa de leilões, deve alcançar 2 milhões de dólares.

LANCE NO BRASIL

Já no leilão da Sotheby’s da próxima quinta-feira, há 63 lotes da coleção de jóias de Lily Marinho, viúva do empresário Roberto Marinho, das Organizações Globo, e do fazendeiro e jornalista Horácio de Carvalho. Ela naturalizada brasileira, mas nasceu na Alemanha, filha de pai inglês e mãe francesa.

“Lily gosta de peças grandes -- é o Brasil. Esperamos muito interesse da América Latina”, disse David Bennett, chefe do departamento internacional de jóias da Sotheby’s na Europa e Oriente Médio.

Bennett disse que recentemente visitou Lily em sua mansão no Cosme Velho, no Rio de Janeiro, em cujo jardim passeiam os seus flamingos.

Aos 87 anos, a ex-miss Paris está abrindo mão de uma coleção de jóias avaliada em 8 a 13 milhões de reais para a criação de um fundo gestor de fortunas em um banco brasileiro para evitar disputas de sua herança. Lily tem um filho e quatro netos.

Além da venda em Genebra, que inclui um par de brincos com um diamante de 11 quilates em cada peça, haverá cinco dias de leilões no Rio de Janeiro, a partir de terça-feira.

Serão mais de 1.000 peças, avaliadas em 10 milhões de reais, entre obras de arte, pratarias, mobiliário, porcelanas, cristais, lustres, tapetes e imagens religiosas. Entre as obras de arte, há quatro telas de Portinari.

Na quinta-feira, em Nova York, a Sotheby’s vendeu em leilão o retrato de Lily feito pelo holandês Kees van Dongen por 685 mil dólares (1,14 milhão de reais), preço dentro da estimativa inicial.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below