5 de Novembro de 2008 / às 22:00 / em 9 anos

Vitória de Obama faz Oprah chorar e DiCaprio orgulhoso

Por Jill Serjeant

LOS ANGELES (Reuters) - Oprah Winfrey chorou de alegria, Leonardo DiCaprio se sentiu orgulhoso por ser norte-americano, e vários astros do hip-hop viram na eleição de Barack Obama como presidente a realização dos sonhos da juventude dos EUA.

As celebridades tiveram um papel importante e às vezes polêmico na campanha de Obama, organizando eventos de arrecadação, atuando em comícios e pedindo votos.

O candidato republicano John McCain usou a popularidade de Obama junto a atores e músicos para compará-lo ironicamente a uma celebridade fútil como Paris Hilton.

Na terça-feira, quando Obama foi declarado presidente-eleito, sua lista de fãs ilustres voltou a dar as caras.

Em Roma para lançar seu último filme, DiCaprio disse a jornalistas que passou a noite acordado vendo a apuração. “Eu não poderia me orgulhar mais do meu país agora e orgulhoso de ser americano... Eu me sinto transbordante, sinto que um tremendo peso foi tirado das minhas costas”, disse o ator de Titanic.

Oprah, que com seu programa de entrevistas é uma das mulheres mais influentes dos EUA, declarou apoio a Obama ainda em 2007. Na noite de terça-feira, milhões de pessoas a viram pela TV às lágrimas, em meio a dezenas de milhares de simpatizantes que foram a um parque de Chicago ouvir o discurso da vitória.

“Parece que a América fez a coisa certa”, disse Winfrey à CNN. “Parece que há uma mudança na consciência. Parece que algo realmente grande e importante aconteceu aqui, como nunca nas nossas vidas esperávamos que acontecesse.”

Russell Simmons, empresário do rap e da moda, disse que a eleição de Obama foi um claro reflexo da “política do hip-hop”.

“Enquanto muitos norte-americanos mais velhos, que foram a passeatas e lutaram tanto para que o senador Obama pudesse concorrer a presidente dos Estados Unidos, nunca ousaram acreditar no real potencial da sua candidatura, os jovens, particularmente na comunidade hip-hop, tiveram fé, e sua imaginação se tornou a nossa realidade”, disse ele em nota.

O cantor de R&B Usher disse ao site Access Hollywood que “Barack Obama não representa uma cor, representa a mudança.”

O produtor musical e cantor Sean Diddy Combs afirmou: “Senti como se tivesse sido o meu voto que o colocou no cargo. E isso pode não ser verdade, mas é o poder que eu senti que tinha.”

A revista People, que normalmente só fala dos astros de Hollywood, colocou Obama na capa de uma edição especial.

Em nota, o ator George Clooney disse que “é hora de começar a unificar o país para que possamos resolver os extraordinários desafios que esta geração enfrenta.”

E a poeta Maya Angelou, 80 anos, disse que mal conseguia conter as lágrimas ao lembrar de todos os afro-americanos que lutaram pelos direitos civis no passado. “Estamos crescendo. Meu Deus, sou tão grata”, disse ela à rede CBS. “Elegemos um negro para falar por nós. Nós, negros, brancos, asiáticos, hispânicos, indígenas, nós fizemos isso.”

Reportagem adicional de Mark Egan, Claudia Parsons, Steve Gorman e Phil Stewart

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below