19 de Dezembro de 2008 / às 10:13 / em 9 anos

Madonna promete voltar em breve e agrada público em São Paulo

Por Camila Moreira

<p>Madonna durante show da turn&ecirc; "Sticky &amp; Sweet" em S&atilde;o Paulo REUTERS/Paulo Whitaker (BRAZIL)</p>

SÃO PAULO (Reuters) - O público de São Paulo foi das vaias ao êxtase assim que as luzes se acenderam para o primeiro show de Madonna na cidade, na noite de quinta-feira. A demora de cantora em subir ao palco no estádio do Morumbi foi rapidamente esquecida, principalmente depois de ela prometer que voltará em breve ao país.

Entre o início do show de abertura com o DJ Paul Oakenfold e a entrada de Madonna no palco para a terceira apresentação da turnê “Sticky & Sweet” no Brasil, passaram-se duas horas. Atraso que não foi perdoado pelas cerca de 67 mil pessoas que lotavam o estádio, segundo a produção.

Mas as vaias viraram gritos e aplausos assim que Madonna subiu ao palco e gritou um “Olá, São Paulo” em português, com um sotaque mais para um “hola” em espanhol.

A partir daí, seguiram-se quase duas horas de um show repleto de sensualidade em que a vitalidade e a resistência física da diva do pop, com seus 50 anos, não deixa de surpreender.

Madonna não pára um instante. Ela salta, dança, toca guitarra e chega até mesmo a pular corda. Impecável, na coreografia e a sincronia com os dançarinos. E, apesar de esperado, esse desempenho ainda chama a atenção dos fãs que têm a chance de vê-la ao vivo.

“Vale tudo para ver a Madonna, ela é uma super performer, uma supercantora, chegou aos 50 anos com toda essa vitalidade”, disse Roberto Sena, 25, publicitário de Manaus que chegou ao estádio por volta das 16h do dia anterior ao show.

Madonna esbanjou simpatia durante todo o show. Levantou a platéia principalmente com suas músicas mais antigas, como as releituras de “Vogue”, “Borderline” e “Into the Groove”, uma das músicas em que mais interagiu com a platéia.

E ela conquistou os fãs de vez quando, ao ouvir eles gritarem “We love you” (nós amamos você), respondeu, sempre em inglês:

“Eu amo vocês também. Estou muito feliz de estar aqui de novo. Da próxima vez não vou demorar tanto. Vocês querem que eu volte?”, perguntou, referindo-se ao hiato de 15 anos de shows no Brasil. A resposta foi imediata: um sonoro “sim”.

Elaine Cristina de Souza, 38, professora, presenciou os dois shows. Gritando rente à grade de proteção, ela faz questão de mostrar o ingresso e as fotos da passagem anterior de Madonna no país.

“A Madonna é única, jamais vai haver outra no nível dela. Que mulher hoje na posição dela está tão alto no profissionalismo?”, disse.

Sorrindo, Madonna mandou um beijo para a platéia após cantar “You Must Love Me”, para em seguida levar o público ao delírio com “Like a Prayer”. E mais declarações, em inglês: “Amo vocês. Estou muito feliz de terminar meus shows em São Paulo”, gritou ela.

O pedido de um fã para cantar “Like a Virgin” foi a deixa para brincar mais com o público, já que ela pediu que todos a ajudassem, caso ela se “esquecesse” da letra. Foi atendida prontamente.

Já era quase meia-noite quando Madonna cantou a última música, “Give it to Me”, usando uma camisa 10 da seleção brasileira com seu nome.

Empolgada, chegou a descer do palco, ficando ao alcance das mãos do público.

Madonna faz mais duas apresentações em São Paulo, no sábado e no domingo. E para quem ainda tem dúvidas sobre o show, a bancária Andrezza Cabral, de 32 anos, resume: “Não tem o que falar. Estou sem palavras”.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below