17 de Junho de 2010 / às 18:34 / em 7 anos

ESTREIA-"Em Busca de uma Nova Chance" exagera no melodrama

SÃO PAULO (Reuters) - Susan Sarandon (“Um Olhar do Paraíso”) e Pierce Brosnan (“O Escritor Fantasma”) formam o casal que está no centro do drama “Em Busca de uma Nova Chance”, interpretando os pais que choram a perda do filho adolescente e são confrontados com uma série de mudanças drásticas na vida. O filme estreia na sexta-feira em circuito nacional.

<p>Susan Sarandon arrives for the premiere of the film "You Don't Know Jack" em Nova York. Seu filme com Pierce Brosnan "Em Busca de uma Nova Chance" estreia nesta sexta-feira em circuito nacional. REUTERS/Lucas Jackson</p>

Dirigido pela estreante Shana Feste, o filme teve sua primeira exibição no Festival de Sundance do ano passado e parece seguir um verdadeiro manual informal de instruções das obras que costumam ser consagradas naquele evento. Ou seja, o enredo inclui uma família disfuncional, fotografia desfocada, trilha sonora indie, redenção, uma lista de detalhes que, mal resolvidos, engessam a história.

Antes mesmo dos créditos iniciais, Bennett (Aaron Johnson, de “Kick Ass - Quebrando Tudo”) morre num acidente de carro. Sua namorada, que estava ao seu lado, sofre apenas uma fratura no braço. Ela é Rose (Carrey Mulligan, de “Educação”) que, meses depois do desastre, bate na porta dos ex-futuros sogros em busca de abrigo durante sua gravidez.

O pai de Bennett, Allen (Pierce Brosnan) a acolhe de braços abertos, enquanto sua mulher, Grace (Susan Sarandon), tenta fingir que a garota não está lá.

Há também o filho caçula, Ryan (Johnny Simmons, de “Hotel para cachorros”), ex-dependente de drogas cuja existência se restringe a entregar amostras de urina para teste a cada duas semanas, para comprovar que continua “limpo”.

Seus pais lhe dão pouca atenção. Quando ele começa a participar de um grupo de jovens que também choram a morte de um parente, é mais um motivo para a diretora injetar outra dose de melodrama e frases feitas, combinadas a psicologia rasa de livros de auto-ajuda.

Até o final da exibição, de pouco mais de uma hora e meia - parece bem mais longo - Feste vai tentar fazer o público rir, chorar, se emocionar. Mas ela nunca alcança o nível de dramas eficientes sobre o mesmo tema, como “Laços de Ternura”, de James L. Brooks, “Gente como a Gente”, de Robert Redford, muito menos “O Quarto do Filho”, de Nanni Moretti.

“Em Busca de uma Nova Chance” é, no final das contas, um amontoado de clichês e personagens mal desenvolvidos.

Susan Sarandon, que já fez personagem bastante parecida com essa em “Vida que Segue” e “No Vale das Sombras” (fora a avó que perde a neta em “Um Olhar do Paraíso”) é a única que consegue evitar boa parte das inconsistências de Grace - outras dependeriam de um encaminhamento diferente da trama, e não da atriz. Sua personagem beira o patético, cuidando do motorista comatoso que dirigia o caminhão que matou seu filho.

Ainda assim, a atriz consegue trazer dignidade para alguns momentos - mesmo quando, na cena seguinte, a diretora mergulha o filme num melodrama cada vez mais forçado.

(Por Alysson Oliveira, do Cineweb)

* As opiniões expressas são responsabilidade do Cineweb

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below