9 de Julho de 2010 / às 23:26 / em 7 anos

Feridos e muita adrenalina em corrida de touros na Espanha

MADRI (Reuters) - Um corredor foi chifrado na coxa por um touro nesta sexta-feira no terceiro dia da corrida de touros do Festival de San Fermín em Pamplona, um evento carregado de adrenalina, que dura uma semana.

<p>Corredores participam nesta sexta-feira do terceiro dia da corrida de touros do Festival de San Ferm&iacute;n em Pamplona, na Espanha, um evento carregado de adrenalina, que dura uma semana. 09/07/2010 REUTERS/Susana Vera</p>

Um touro se separou da manada, ficando para trás, o que elevou o perigo para os corredores e prolongou a corrida normalmente curta por mais de seis minutos pelas ruas de Pamplona, no norte da Espanha.

Três outros corredores foram hospitalizados, informou a Cruz Vermelha durante seu costumeiro balanço sobre os feridos do dia.

Um dia antes um irlandês de 43 anos identificado somente como C.C. foi hospitalizado com um corte profundo causado por chifre e um espanhol de 21 anos ficou várias horas sob risco de morte, mas seu estado melhorou.

“A corrida de hoje teve o complicador adicional de ter muito mais gente do que nos dias anteriores”, disse Miguel Angel Castander, um dos corredores desta sexta-feira, em declaração à TVE depois do evento.

A corrida durou 6 minutos e 23 segundos enquanto na quinta-feira foram apenas 3 minutos e 30 segundos.

A cada manhã, durante sete dias, corredores usando calças brancas e faixas vermelhas atraem uma manada de seis touros pelas ruas lotadas de gente em Pamplona, seguindo até a principal arena de touradas, onde os animais são reunidos todas as tardes.

O roteiro seguido é o mesmo todos os dias, mas os animais vêm de diferentes partes da Espanha. Pelo menos uma mulher participou nesta sexta-feira do evento, predominantemente masculino.

Quanto mais fluido o movimento da corrida, melhor, mas nesta sexta-feira um touro se retardou, se esgueirando no pavimento a cada virada, parecendo desorientado, embora observador.

Os corredores fizeram tentativas de tocar nele para encorajá-lo a continuar correndo, saindo logo de seu caminho para evitar serem atingidos pelos chifres pontiagudos.

No ano passado houve uma morte, a primeira desde 2003. O festival é realizado sempre em julho e atrai considerável interesse tanto dos espanhóis como dos turistas estrangeiros.

Desde que a Plaza de Toros foi criada, em 1922, houve um total de 15 mortes na corrida, segundo um balanço feito no ano passado pelo diário El País.

A corrida de touros de San Fermín é uma tradição antiga que se tornou famosa pelo livro “O Sol Também Se Levanta”, do escritor norte-americano Ernest Hemingway, um relato semiautobiográfico de uma visita regada a álcool de um grupo de briguentos amigos britânicos e norte-americanos nos anos 1920.

Os corredores não podem ingerir bebidas alcoólicas, mas na corrida desta sexta-feira um dos feridos tinha bebido, disseram autoridades.

Reportagem de Alice Tozer

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below