2 de Fevereiro de 2011 / às 16:46 / em 7 anos

Museus estão em alerta sobre artefatos egípcios saqueados

Por Mohammed Abbas

<p>Manifestantes pr&oacute; e contra governo enfrentam-se na Tahrir Square, onde fica o Museu Eg&iacute;pcio do Cairo. 02/02/2010 REUTERS/Yannis Behrakis</p>

LONDRES (Reuters) - Museus internacionais estão em alerta intensificado para interceptar artefatos egípcios roubados, e alguns arqueólogos chegaram a oferecer-se para voar ao país para ajudar a proteger seus tesouros da antiguidade, disseram museus na quarta-feira.

O Egito vem sendo abalado por nove dias sem precedentes de manifestações contra o governo do presidente Hosni Mubarak, no poder há 30 anos, e teme-se pela segurança do patrimônio cultural e histórico inestimável do país, depois de saqueadores terem invadido o Museu Egípcio do Cairo, na semana passada.

O espectro da queda de Bagdá em 2003 está presente nas cabeças dos egiptólogos. No caos que se seguiu à queda de Saddam Hussein, milhares de artefatos milenares foram roubados ou destruídos por saqueadores em Bagdá.

“A situação vista na queda de Bagdá é o pior cenário possível, mas acreditamos que isso não vá acontecer agora porque há um movimento grande pela proteção das antiguidades”, disse Karen Exell, presidente da Sociedade de Exploração do Egito, britânica, e curadora da coleção egípcia do Museu de Manchester.

Os egiptólogos estão animados com a reação de cidadãos egípcios comuns ao caos e à desordem.

No Cairo, centenas de pessoas formaram uma corrente em volta do museu para protegê-lo, depois de saqueadores terem invadido o local na sexta-feira e destruído duas múmias faraônicas, segundo autoridades.

Os museus ocidentais ainda pedem vigilância no Egito.

“Todos nós, que somos amigos do Egito, podemos ajudar com os esforços para impedir os saques de sítios arqueológicos, lojas e museus. Para isso, devemos focar o comércio internacional de antiguidades”, informou em comunicado à imprensa o Museu Petrie de Arqueologia Egípcia, em Londres.

Exell disse que, além de ofertas de ajuda, foi emitido um alerta internacional para identificar artefatos roubados. Um dos alertas foi postado num mural eletrônico global de egiptólogos por uma equipe de arqueólogos espanhóis que se ofereceu para ajudar a catalogar artefatos.

O Egito foi palco de uma das maiores civilizações da antiguidade, fato que é também uma importante fonte de receita turística para o país.

O Museu Britânico, que possui uma das maiores coleções mundiais de antiguidades egípcias, incluindo a famosa Pedra de Rosetta, pediu mais proteção do patrimônio histórico-cultural egípcio.

Muitos artefatos importantes da antiguidade egípcia foram levados para fora do país em séculos anteriores e guardados em museus internacionais. Alguns críticos afirmam que isso aconteceu porque, quando foram trazidos à tona, as autoridades egípcias não reconheceram seu valor real.

Exell disse que isso não acontece mais hoje.

“É realmente encorajador ver que pessoas comuns estão protegendo os sítios mais próximos delas, que compreendem o valor deles. As pessoas têm muito orgulho de seu patrimônio histórico-cultural.”

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below