3 de Agosto de 2011 / às 22:49 / 6 anos atrás

Filme perdido de Hitchcock é achado na Nova Zelândia

Por Alex Dobuzinskis

LOS ANGELES (Reuters) - Um filme da década de 1920 que prenunciava o estilo que celebrizou Alfred Hitchcock foi recentemente encontrado na Nova Zelândia, disseram arquivistas na quarta-feira.

“The White Shadow” (A Sombra Branca) foi lançado em 1924, quando Hitchcock tinha 24 anos. O cineasta aparece nos créditos como roteirista, assistente de direção, diretor de arte e montador.

Segundo a Fundação Nacional de Preservação Cinematográfica dos EUA, é o mais antigo longa metragem conhecido a ter Hitchcock nos créditos.

Só três dos seis rolos do filme sobreviveram, o que amplia o mistério que cerca a obra -- algo que alguns fãs do “mestre do suspense” consideram totalmente pertinente em se tratando de um filme de Hitchcock.

“Quem sabe talvez o resto apareça algum dia, e possamos montar as peças”, disse Randy Haberkamp, diretor de programas educacionais da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos EUA. “Perfeito para um Hitchcock.”

Os três rolos de “The White Shadow”, dirigido pelo britânico Graham Cutts, foram doados na década de 1980 ao Arquivo Cinematográfico da Nova Zelândia pela família do falecido projecionista e colecionador Jack Murtagh.

“O filme foi etiquetado equivocadamente, então ninguém sabia o que realmente era”, disse Haberkamp.

Os rolos com impressão de nitrato de prata, um material altamente inflamável, passaram 23 anos nas prateleiras do Arquivo Cinematográfico da Nova Zelândia, disse a entidade em nota.

Por ter sido um filme britânico distribuído por uma empresa dos EUA, o material recebeu menos atenção do que mereceram os filmes neozelandeses, segundo Haberkamp. A descoberta se deu graças a um projeto da Fundação Nacional de Preservação Cinematográfica para identificar antigos filmes norte-americanos na cinemateca neozelandesa.

“The White Shadow” é um melodrama estrelado por Betty Compson, grande estrela da época, no papel de irmãs gêmeas -- uma boa e outra má.

A trama inclui desaparecimentos misteriosos, confusões de identidade e até uma transmigração de almas. Na época do lançamento, críticos reprovaram o enredo por considerá-lo inverossímil.

Hitchcock começou a trabalhar na década de 1920, fazendo cartelas para filmes mudos. Na Grã-Bretanha e depois nos EUA, desenvolveu uma carreira consagrada que incluiu “Janela Indiscreta” (1954), “Um Corpo que Cai” (1958) e “Psicose” (1960). O cineasta morreu em 1980.

A Academia de Ciências e Artes Cinematográficas exibirá os três rolos de “The White Shadow” em 22 de setembro na sua sala Samuel Goldwyn, em Beverly Hills.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below