17 de Novembro de 2011 / às 13:58 / em 6 anos

ESTREIA-"Crepúsculo" entra na reta final com a primeira parte de "Amanhecer"

SÃO PAULO (Reuters) - Esqueçam as bodas do príncipe William e Kate Middleton. O casamento do século envolve um vampiro e uma humana, mais especificamente Edward Culler (Robert Pattinson) e Bella Swan (Kristen Stewart) em “A Saga Crepúsculo: Amanhecer - Parte 1”, que tem estreia mundial nesta semana, na reta final da série.

Atores Robert Pattinson, Kristen Stewart e Taylor Lautner na estreia de "A Saga Crepúsculo: Amanhecer - Parte 1", em Londres. 16/11/2011 REUTERS/Toby Melville

Bill Condon (“Kinsey - Vamos falar de sexo”) assume a direção, que já foi de David Slade (“A Saga Crepúsculo: Eclipse”), Chris Weitz (“Lua Nova” ) e Catherine Hardwicke, que fez o filme original, lançado em 2008. O roteiro continua assinado por Melissa Rosenberg -- responsável por todas as adaptações da série de livros de Stephenie Meyer.

No Brasil, o filme é distribuído pela Paris Filmes, que preferiu não mostrar o longa para a imprensa antes da estreia, o que é uma posição bastante comum quando o distribuidor tem dúvidas sobre o filme ou teme as críticas que possam ser publicadas antes da estreia.

A revista “Variety” assistiu ao longa nos Estados Unidos e comentou: “O mais desapontador é que uma história tão cheia de possibilidades acabe parecendo uma oportunidade não-consumada... Falta ao filme um sentido sombrio ou de ameaça”.

No novo filme, Bella e Edward escolhem o Rio de Janeiro para passar sua lua-de-mel. Depois de quase perder Bella durante o parto do primeiro filho do casal, Edward atende aos pedidos de sua amada e a transforma em imortal. A filha ganha o nome peculiar de Renesmee. Após o nascimento, a tensão entre os seres não-humanos cresce.

Jackob (Taylor Lautner), o menino-lobo, continua descamisado e apaixonado por Bella -- mesmo após ela se casar com seu maior rival, o vampiro Edward. Segundo a “Variety”, no entanto, as cenas de batalha entre vampiros e lobisomens, neste longa, são bem mais fracas do que as do filme anterior (“A Saga Crepúsculo: Eclipse”).

“Duas cenas de combate entre vampiros e lobisomens são essencialmente sem graça, e tão mal iluminadas que pode-se desconfiar que os efeitos são feitos sem qualidade. Com um pouco de sorte, isso é apenas um aquecimento para uma guerra sobrenatural épica que deve acontecer no próximo ano”, com o último filme da série. Se nada mudar até lá.

(Por Alysson Oliveira, do Cineweb)

* As opiniões expressas são responsabilidade do Cineweb

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below