19 de Fevereiro de 2012 / às 17:18 / em 6 anos

Sapucaí festeja de Portinari a Harry Potter, passando pela Bahia

Por Juliana Schincariol e Pedro Fonseca

Homens trabalham nas preparações finais do Sambódromo para o desfile de Carnaval, no Rio de Janeiro, 16 de fevereiro de 2012. REUTERS/Ricardo Moraes

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Das pinceladas de Portinari e Romero Britto, passando pela Bahia de Jorge Amado e a Londres de Shakespeare e Harry Potter, as escolas de samba do grupo especial do Rio de Janeiro desfilam no reformado Sambódromo, nas noites de domingo e segunda-feira, contando histórias que prometem mais uma vez levantar o público nas arquibancadas e arrancar o famoso grito “é campeã”.

Dona de 12 títulos, a atual campeã Beija-Flor vai tentar manter o trófeu do ano passado com o enredo “São Luís - O poema encantado do Maranhão”, que incluirá uma homenagem a Joãosinho Trinta, ex-carnavalesco da agremiação natural daquele Estado, que morreu em dezembro do ano passado.

Ao retratar os acontecimentos e personagens da capital maranhense, a sexta escola a desfilar no domingo vai deixar vazio o trono em que desfilaria Joãosinho Trinta, o homem que deu à agremiação de Nilopólis o títulos de 1976, 1977, 1978, 1980 e 1983 e que é considerado o responsável por revolucionar os desfiles do Carnaval do Rio.

A escola prometeu que este ano relembrará o “Cristo Mendigo” que causou polêmica no Carnaval de 1989, quando Joãosinho quis levar ao desfile uma enorme imagem de Cristo Redentor retratado como mendigo. A ideia acabou sendo vetada após impasse jurídico com a Igreja Católica, e a imagem saiu coberta por um plástico preto e com uma faixa com a frase “Mesmo proibido, olhai por nós!”.

Do Nordeste também vem o enredo da Portela, a maior campeã da história do Carnaval carioca, com 21 títulos, mas que não vence desde 1980, que escolheu cantar a Bahia. O samba da agremiação “E o povo na rua cantando. É feito uma reza, um ritual” é apontado pela crítica como um dos melhores.

De Salvador, onde o Carnaval também é um dos mais animados e conhecidos do Brasil, a escola levará para a avenida rituais baianos, capoeira, religiosidade, além de fazer uma homenagem à cantora Clara Nunes, que em 2012 completaria 70 anos.

A cantora baiana Daniela Mercury, que precisou mudar o dia de seu desfile na festa em Salvador, vai prestigiar o desfile da escola de Madureira.

A Bahia será igualmente cantada pela Imperatriz, que vai celebrar o centenário de Jorge Amado. Grandes obras do autor de “Gabriela, Cravo e Canela”, “Tieta” e “Capitães de Areia” vão entrar na avenida. Assim como a concorrente Portela, a tradicional escola de Ramos vai mostrar eventos populares da Bahia, incluindo o próprio Carnaval de Salvador.

Ainda sob inspiração do Nordeste, o Salgueiro, escola vermelha e branca da Tijuca, vai falar sobre a literatura de cordel. Além das obras que narram em forma de rimas alguns fatos do cotidiano, lendas e heróis locais, também serão homenageados personagens como Lampião e Antônio Conselheiro.

A Mocidade Independente, que desfila na primeira noite do grupo especial, vai contar a vida e obra do artista plástico Candido Portinari. Famosa pelas “paradinhas de sua bateria”, a escola promete trazer muita história sobre o pintor.

“Através de suas mais importantes obras, mostraremos a trajetória deste artista que acima de tudo retratou em seus quadros e murais, a história, o povo e a vida dos brasileiros, através dos traços fortes e vigorosos carregados de dramaticidade e expressão”, diz a Mocidade, em seu site.

BRITTO, POTTER E SHAKESPEARE

A Marquês de Sapucaí prestará homenagem a outro artista plástico brasileiro que também ganhou fama no exterior.

Conhecido pela sua arte pop, Romero Britto terá sua história contada no enredo “Romero Britto: O Artista da Alegria dá o Tom na Folia”, sob a tutela do carnavalesco Édson Pereira, na Renascer de Jacarepaguá, escola que abre os desfiles de domingo.

De origem pernambucana, o artista pop, que ficou famoso especialmente nos Estados Unidos, estará presente no carro alegórico que encerra o desfile.

Com o Rio como sede dos Jogos Olímpicos de 2016, Londres, a sede da Olimpíada deste ano, será tema do enredo da União da Ilha, uma das escolas mais afetadas pelo incêndio que atingiu a Cidade do Samba às vésperas do Carnaval do ano passado.

O enredo “De Londres ao Rio: era uma vez...uma ilha”, no entanto, vai bem além do evento esportivo. William Shakespeare, a rainha Vitória e até Harry Potter, Alice no País das Maravilhas e o Chapeleiro Maluco passarão pela avenida no desfila da escola da Ilha do Governador.

“O fogo olímpico, que significa paz e união dos povos em torno da chama sagrada pelos esportes me inspirou a fazer um enredo que eu já queria, de mostrar aspectos da cultura britânica”, disse à Reuters TV o carnavalesco da escola, Alex de Souza.

A Vila Isabel vai tentar repetir a dose de 1988, quando conquistou seu primeiro título, sob o enredo Kizomba. Agora, a azul e branca volta a falar de Angola, com o enredo “Você Samba Lá... Que Eu Sambo Cá. O Canto Livre de Angola!”, que promete sacudir a Sapucaí, que passou pela primeira grande reforma e ampliação desde a inauguração em 1984.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below