3 de Abril de 2012 / às 22:00 / em 6 anos

Mario van Peebles põe a família para trabalhar em seu novo filme

Por Ian Blair

LOS ANGELES, 3 Abr (Reuters) - Com o pai e vários filhos do diretor no elenco, estreia na sexta-feira nos Estados Unidos “We The Party”, barulhenta comédia multicultural em que o ator e cineasta Mario van Peebles narra as aventuras de um grupo de adolescentes sob o governo do primeiro presidente negro dos EUA.

Snoopy Dogg também faz uma ponta no longa, que nos EUA foi proibido para menores de 17 anos desacompanhados.

Van Peebles (de “Anjos da Lei” e “Baadasssss!”, em que abordava o trabalho do pai, o também diretor Melvin van Peebles), falou à Reuters sobre o novo filme, junto com seu filho Mandela.

P - É verdade que o filme foi inspirado nos seus próprios filhos adolescentes?

Mario - É absolutamente verdade. Eu estava tentando escrever outra coisa, e meus filhos ficavam tocando uma música alta no andar de cima. Subi para dizer a eles para desligar, e aí Mandela falou que ele queria ir a alguns clubes especiais para adolescentes com seus irmãos e irmãs.

Mandela - Pedimos a ele para nos dar uma carona, e ele falou: “Não, mas se eu levar vocês vou entrar”.

Mario - E ele disse que não era legal ir como pai deles - por que eu não ia fingindo ser um segurança, ficando basicamente “incógnegro”? Então entrei e foi incrível. Tudo se mexia tão mais rápido. Eles ficavam tuitando, mandando mensagens de celular, dançando devagar - tudo simultaneamente. E isso me fez pensar em “Uma Festa de Arromba”, que era negro, e em “Clube dos Cinco”, que era branco, e pensei: vamos fazer com todo mundo em 2012 e como é agora. Aí comecei a tomar notas.

P - E você se sentiu muito por fora?

Mario (risos) - Era como o clube que eu queria ter frequentado quando era adolescente. (...) Alguns pais tapam os ouvidos e olhos e dizem: “Nem quero saber”. Mas eu sempre disse: “Eu quero saber - e talvez vá filmar”. Honestamente, eu queria que eles estivessem seguros, e aí secretamente eu provavelmente queria ficar mais tempo com meus filhos, mas tem essa idade em que eles não querem ficar com você.

P - Foi constrangedor ter o seu pai grudado em você?

Mandela - Ele é um cara bem divertido, então não é constrangedor para mim - é mais pelos outros garotos. Estou acostumado.

Mario - E deixa eles serem eles. Deixa eles falarem como falam. Não fiz para ser PG (restrito para menores). É assim que eles falam.

P - Essa é como uma reunião dos Van Peebles, e seu pai também está no filme, junto com os netos dele. Então o nepotismo em Hollywood vai bem, obrigado?

Mario (risos) - Bom, meus filhos não são caros, e trabalham muito.

Mandela - Foi um barato, mas quer saber honestamente? É uma coisa cotidiana com ele. Ele é o nosso pai, então o vemos o tempo todo. Aí que, se não sabemos nossas falas, ele nos ensaia no carro! Muita gente pode pensar em “nepotismo”, mas isso meio que evoluiu a partir de coisas factuais que ocorreram na nossa família.

Mario - Os personagens foram inspirados neles, e aí eles trouxeram todos os amigos deles, e aí pareceu muito natural. É um vídeo divertido de família, sob alguns aspectos. Se as pessoas vão só esperando diversão, música e dança, encontram muito mais.

Reportagem de Bob Tourtellotte

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below