26 de Abril de 2012 / às 14:08 / em 6 anos

ESTREIA-"Idades do Amor" aborda a paixão em várias fases da vida

O amor não tem idade. Ou melhor, ele acontece de forma diferente em cada faixa etária. Teoricamente, essa é a tese da comédia romântica italiana “As idades do amor”. O filme é dividido em três episódios, e, no fundo, mostra que no amor é tudo igual, só muda o endereço, ou melhor, a faixa etária.

Para tanto, cada um dos episódios lida com uma fase: juventude, idade madura e mais além (como dizem os intertítulos). Os personagens jovens e os maduros, no entanto, continuam repetindo os mesmos erros - especialmente o envolvimento com a pessoa errada e a insistência num romance fadado ao fracasso.

No primeiro deles, um advogado (Riccardo Scamarcio) vai a uma pequena cidade do interior tentar convencer um casal idoso a vender sua propriedade para a construção de um campo de golfe. Eles não querem ceder, e o rapaz acaba ficando mais uns dias no local, onde conhece a beldade do vilarejo, Micol (Laura Chiatti). É claro que o rapaz vai ficar com o coração balançado, porque sua noiva (Valeria Solarino) o espera em Roma.

O episódio seguinte muitas vezes cai num humor pastelão, com a história de um âncora de telejornal (Carlo Verdone), casado e pai de família, que se envolve com uma mulher com muito amor para dar (Donatella Finocchiaro). Com o tempo, ela se revela bem mais complicada do que a amante apaixonada que ele via.

A última parte do filme - a mais bem resolvida - traz Robert De Niro e Monica Bellucci como um casal improvável: ele é Adrian, um historiador americano que se muda para a Itália e acaba ficando amigo do pai dela (Michele Placido), porteiro do prédio onde mora; ela é Viola e acaba de voltar de Paris, onde dizia ser dona de boutique.

Quando a verdade vem à tona, caberá a Adrian salvar Viola. O episódio é o que desenvolve melhor seus personagens e situações - muito disso, graças ao elenco empenhado, especialmente De Niro, que lembra suas origens e fala italiano.

Esse é o terceiro longa de uma série de sucesso na Itália, que começou com “Manual do Amor” (exibido no Brasil). Como todo filme de episódios, “As Idades do Amor” é desigual. As histórias são amarradas por um cupido taxista (Vittorio Emanuele Propizio) - mas o filme nem sequer se dá ao trabalho de fazer alguma brincadeira com De Niro e seu personagem mais famoso, em “Taxi driver”.

(Por Alysson Oliveira, do Cineweb)

* As opiniões expressas são responsabilidade do Cineweb

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below