6 de Setembro de 2013 / às 18:04 / 4 anos atrás

Jennifer Hudson fala do "intimidador" papel de Winnie Mandela no cinema

Por Mary Milliken

Cantora Jennifer Hudson é vista durante cerimônia do MTV Video Music Awards, em Nova York. Para a atriz e cantora, ganhadora do Grammy e do Oscar, a decisão de interpretar a ativista anti-apartheid Winnie Mandela, em seu primeiro papel principal, não foi nada fácil, especialmente quando ela viu o que a ex-primeira-dama sul-africana significou para seu país. 25/08/2013 REUTERS/Andrew Kelly

LOS ANGELES, 6 Set (Reuters) - Para a atriz e cantora Jennifer Hudson, ganhadora do Grammy e do Oscar, a decisão de interpretar a ativista anti-apartheid Winnie Mandela, em seu primeiro papel principal, não foi nada fácil, especialmente quando ela viu o que a ex-primeira-dama sul-africana significou para seu país.

Na cinebiografia “Winnie Mandela”, que estreia nos cinemas dos EUA nesta sexta-feira, Hudson interpreta a ex-mulher de Nelson Mandela a partir do momento em que ela o conheceu, quando jovem, e depois por várias décadas como a face pública da luta do marido preso contra o domínio branco.

O filme também mostra a queda de Winnie Mandela em desgraça quando ela é acusada de envolvimento em assassinatos e violações dos direitos humanos, antes de seu marido ser libertado, em 1990, da prisão, onde permaneceu por 27 anos, e se tornar o primeiro presidente negro da África do Sul.

“Na verdade, foi algo bem intimidador para mim”, disse Hudson, que veio a entender a pressão de seu papel ao chegar à África do Sul e escutar as pessoas falando sobre Winnie Mandela.

”Isso é algo que eles claramente valorizam e levam muito a sério“, acrescentou. ”Eu pensei que se fosse fazer (o papel) eu teria de entrar com tudo. Pensei que talvez eu devesse ir para casa. E, então, pensei: ‘esta é uma história da qual eu gostaria de ser parte e de contar’.

Jennifer, 31, contracena com Terrence Howar, que interpreta Nelson Mandela. Ela passou quatro meses na África para o filme, rodado em 2011 pelo diretor sul-africano Darrell Roodt.

“Tive de perder peso para o filme e também aprender o sotaque”, disse Hudson. “Todo mundo estava preocupado com o meu físico. Mas eu não estava preocupada com a parte da perda de peso. Estava mais preocupada com o sotaque.”

Para incorporar o sotaque, ela mergulhou na cultura sul-africana e passou um tempo onde os Mandela viveram “só para ser absorvida pelo ambiente.”

Ela sabia que estava em um bom caminho quando os sul-africanos pensavam que estavam vendo Jennifer Hudson, mas depois de ouvir seu sotaque ‘à la Winnie’ concluíam que não era a atriz e cantora, que chegou à fama em 2004 como finalista no “American Idol”.

Quanto ao corpo, Jennifer passa por uma transformação para retratar a própria prisão de Winnie Mandela, onde ela se torna uma mulher inchada e desfigurada por passar meses em confinamento solitário e até mesmo conversar com os insetos.

Jennifer, que ganhou o Oscar de melhor atriz coadjuvante em 2007, pelo papel de Essie em “Dreamgirls - em Busca de um Sonho”, disse que Winnie Mandela é “um enorme papel” em sua carreira e mostra o quão longe ela pode ir a partir de suas raízes como uma atriz de musical. Também demonstra a capacidade de Jennifer de envelhecer na tela, retratando Winnie Mandela ao longo de cerca de 50 anos.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below