10 de Novembro de 2016 / às 16:41 / em 10 meses

Rússia mantém proibição do LinkedIn em meio a temores sobre proteção de dados

MOSCOU (Reuters) - Um tribunal russo manteve nesta quinta-feira a decisão de bloquear o site da rede social LinkedIn, noticiou a agência de notícias Interfax, criando um precedente para a forma como empresas estrangeiras operam no país.

O Roskomnadzor, órgão regulador das comunicações no país, disse que o LinkedIn, que tem mais de 6 milhões de usuários registrados na Rússia, está violando a lei que exige que sites que armazenam dados pessoais de russos o façam em servidores dentro do país.

Moscou disse que a lei, criada em 2014 mas nunca antes aplicada com rigor, visa a proteger os dados pessoais dos russos. Críticos a vêem como ataque à redes sociais num país que tem controle cada vez maior da internet nos últimos anos.

O Tribunal Distrital Tagansky, em Moscou, decidiu em agosto que o site do LinkedIn deveria ser bloqueado, mas a decisão ainda não foi cumprida, pois dependia de apelação da empresa.

Representantes do LinkedIn na Rússia não responderam imediatamente a um pedido de comentários.

Por Vladimir Soldatkin, Jack Stubbs e Anastasia Teterevleva

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below