23 de Novembro de 2016 / às 20:47 / em um ano

Novos scanners devem reduzir a necessidade de tirar objetos da mala em aeroportos

BRUXELAS (Reuters) - Fabricantes de scanners usados em aeroportos estão testando novas tecnologias que podem em breve fazer com que a retirada de líquidos e notebooks de bagagens de mão uma coisa do passado, acelerando a fila de segurança para os passageiros.

Fabricantes como Smiths Detection e a L-3 Communications estão desenvolvendo e testando novos scanners usando a tecnologia de imagens de tomografias computadorizadas, que produzem imagens mais detalhadas que um raio-x comum.

Uma vez que líquidos e dispositivos eletrônicos não precisam ser removidos com os novos scanners, menos bandejas de pertences e imagens de seus conteúdos são exigidos, representantes da Smith e L-3 disseram à Reuters numa conferência em Bruxelas.

Os aeroportos da Europa gastam 5 bilhões de euros por ano com segurança, de acordo com a associação dos aeroportos ACI Europe, que organizou a conferência.

A L-3, que atualmente faz scanners de tomografia computadorizada para bagagem, está atualmente testando seu scanners ClearScan para bagagem de mão nos aeroportos de Amsterdã e Johanesburgo, disse um representante da área de marketing durante a conferência.

Uma porta-voz do aeroporto de Schiphol, em Amsterdã, disse que os resultados dos testes foram bons. Passageiros ainda precisam colocar líquidos em um sacola de plástico limpa, mas a sacola pode permanecer na bagagem.

Por Victoria Bryan

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below