9 de Janeiro de 2017 / às 19:16 / 7 meses atrás

Alegações dos EUA sobre ciberataque relembram “caça às bruxas”, diz Rússia

MOSCOU (Reuters) - Alegações de que a Rússia tentou influenciar a eleição dos EUA a favor de Donald Trump são uma caça às bruxas, disse o Kremlin nesta segunda-feira, em sua primeira reação à divulgação de um relatório da inteligência dos Estados Unidos sobre a alegada operação de ciberataque russa.

O relatório, em uma versão com partes censuradas divulgada publicamente na semana passada, alegou que o presidente russo, Vladimir Putin, dirigiu uma ciber campanha buscando ajudar Trump a superar sua rival Hillary Clinton na corrida para a Casa Branca.

O porta-voz do Kremlin Dmitry Peskov disse que não há provas que mostrem que autoridades russas estavam envolvidas. 

“Estamos observando um séria fadiga com essas acusações”, disse Peskov a repórteres em uma teleconferência. “É realmente algo que lembra uma caça às bruxas.”

Suas palavras ecoam as do próprio Trump, que foi citado pelo jornal The New York Times na sexta-feira dizendo que a comoção sobre o ciberataque russo era uma “caça às bruxas política”. 

Peskov, comentando sobre o relatório da inteligência norte-americana, disse: “a versão do relatório que foi tornada pública não acrescentou nenhuma substância que podemos comentar”.

“Acusações sem fundamento, que não sejam apoiadas por nada, estão sendo ensaiadas de maneira amadora, não profissional. Não sabemos de qual informação eles realmente estão se valendo.”

Questionado se o próprio Putin havia lido uma tradução do relatório, Peskov disse não haver nada no documento “que valha a pena ler em detalhe”.

Mas Peskov disse que a posição do Kremlin, como no passado, é de categoricamente descartar que qualquer autoridade russa possa estar envolvida no caso de hacking da eleição presidencial norte-americana de 2016. 

Tanto Trump quanto Putin disseram querer restaurar as relações entre EUA e Rússia, e o porta-voz do Kremlin indicou que Moscou estava vendo para a além desse caso, de olho no novo governo.

O porta-voz disse que, quando Trump tomar posse em 20 de janeiro, seriam iniciados trabalhos para encontrar uma data para um primeiro encontro entre os líderes russo e norte-americano.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below