17 de Fevereiro de 2017 / às 22:56 / em 10 meses

Alemanha proíbe boneca Cayla, citando risco de ataque hacker

BERLIM (Reuters) - Uma boneca falante chamada Cayla foi proibida pelas autoridades alemãs porque o software dentro dela pode ser alvo de hackers, criando um risco de segurança e permitindo que dados pessoais sejam revelados.

A agência federal de redes recomendou que os pais que compraram a boneca a destruam.

“A boneca Cayla está proibida na Alemanha”, disse o chefe da agência, Jochen Homann. “Trata-se também de proteger os membros mais fracos da sociedade.”

O software na boneca - criado pela empresa americana Genesis Toys - permite que uma criança converse com a boneca.

Mas isso levou a um risco de espionagem e poderia comprometer a privacidade, Homann disse em comunicado.

O pesquisador Stefan Hessel, que examinou o brinquedo e alertou a agência, disse que os hackers podem usar um dispositivo não seguro de bluetooth incorporado para ouvir e conversar com a criança brincando com ela.

“Num teste, consegui hackear o brinquedo mesmo através de várias paredes, por falta de recursos de segurança”, disse Hessel ao site alemão Netzpolitik.org.

A distribuidora alemã Vivid GmbH não pôde ser contatada para comentar.

A vigilância é uma questão delicada na Alemanha, onde a polícia secreta Stasi da Alemanha Oriental e a nazista Gestapo vigiavam de perto a população.

Reportagem de Michael Nienaber

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below