30 de Junho de 2017 / às 16:49 / em 3 meses

Philip Morris vê iQOS como chave para futuro sem fumaça de cigarro no Reino Unido

Homem usa cigarro eletrônico iQOS da Philip Morris 12/05/2017 REUTERS/Issei Kato

LONDRES (Reuters) - A fabricante de cigarros Philip Morris Internacional acredita que seu produto de tabaco aquecido iQOS pode fazer o Reino Unido se livrar da fumaça do fumo nos próximos anos, disse um executivo da companhia nesta sexta-feira.

Desde que o iQOS foi lançado em dezembro no Reino Unido, a Philip Morris registrou que cerca de 70 por cento dos usuários conseguiram parar de fumar cigarros convencionais, disse Peter Nixon, diretor das operações no Reino Unidos e Irlanda, à Rádio BBC. Isso se compara a uma taxa de cerca de 15 a 20 por cento nas pessoas que usam cigarros eletrônicos, afirmou.

Enquanto os cigarros eletrônicos usam nicotina líquida, o iQOS aquece varetas de tabaco, chamadas de Heets, a uma temperatura suficientemente alta para criar vapor, mas não fumaça.

A Philip Morris, que tem os cigarros Malboro entre suas marcas globais, solicitou que os reguladores de saúde norte-americanos reconheçam o “risco modificado” do iQOS em comparação com os cigarros convencionais.

A companhia vende cerca de 7 bilhões de Heets por ano ante 820 bilhões de cigarros convencionais vendidos pela empresa. Mas Nixon disse à BBC que a companhia espera produzir 100 bilhões de varetas de tabaco em 2018, ante menos de 400 milhões fabricadas em 2015.

“Um dia queremos parar de vender cigarros”, disse Nixon sobre o programa. “Estamos progredindo rapidamente.”

Por Martinne Geller

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below