January 12, 2018 / 3:14 PM / 9 months ago

Repressão às moedas virtuais divide Coreia do Sul

SEUL (Reuters) - Com uma população sedenta por tecnologia que adota rapidamente os últimos dispositivos e uma geração jovem que enfrenta perspectivas fracas de trabalho convencional, a Coreia do Sul tem sido um terreno fértil para as moedas digitais.

Ilustrações da moeda virtual bitcoin sobre notas de dólar 6//11/2017 REUTERS/Dado Ruvic/Illustration

Mas a rápida adoção do bitcoin e outras criptomoedas no país está encontrando uma oposição igualmente rápida por parte dos reguladores, que chegaram a propor a proibição definitiva das negociações com esses ativos.

Sob os olhares dos mercados ao redor do mundo, a Coreia do Sul se divide entre uma geração que vê as criptomoedas como uma maneira de melhorar a vida e as autoridades governamentais que às comparam a jogos de azar e acreditam que as moedas virtuais encorajam o comportamento ilícito.

Na quinta-feira, o ministro da Justiça, Park Sang-ki, derrubou os preços globais do bitcoin temporariamente e criou furor nos mercados de moedas virtuais ao dizer que está preparando uma legislação para banir o comércio de criptomoedas.

A partir de sexta-feira, uma petição no site da Blue House, a residência presidencial e sede do governo sul-coreano, atraiu mais de 120 mil assinaturas contra a mudança. O tráfego pesado derrubou brevemente o site.

A insurreição online contra os planos do governo coloca o presidente Moon Jae-in em uma situação difícil, e o seu gabinete foi rápido ao dizer que a proibição é apenas uma proposta em consideração.

“A mais recente ideia para banir tudo parece oriunda do medo de que quando a bolha estourar e as coisas saírem errado, tudo cairá no colo do governo”, disse Yun Chang-hyun, professor de economia da Universidade de Seul.

Com a taxa de desemprego juvenil três vezes a média nacional e uma crescente diferença de renda entre ricos e pobres, muitos jovens coreanos se preocupam com suas perspectivas econômicas.

“Tribute tanto quanto você quiser, mas não proíba. Minha vida depende disso”, escreveu um peticionário no site da presidência.

Lee Min-kyung, uma estudante de 25 anos de idade em uma escola de pós-graduação de Seul, disse que ganhou cerca de 18 milhões de wons (16.974 dólares), duplicando seu investimento inicial em bitcoin. Ela disse que o governo está adotando respostas aleatórias simplesmente porque as autoridades não conhecem o mercado.

“Eles dizem que o propósito da regulamentação é conter movimentos especulativos, mas isso me faz pensar que o governo simplesmente não entende o que é o mercado”, disse Lee.

Mais de 30 por cento dos 941 funcionários em escritórios pesquisados em dezembro pela Saramin, um portal de emprego com base na Coreia do Sul, disseram que negociam criptomoedas. Os entrevistados tinham investido em média 5.357 dólares em moedas virtuais, e a maioria deles disse que começaram a negociar porque viram isso como a maneira mais rápida de ganhar dinheiro.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below