December 21, 2018 / 1:28 PM / in 8 months

China nega acusações de espionagem econômica dos EUA e aliados

TIANJIN, China (Reuters) - O Ministério das Relações Exteriores da China informou nesta sexta-feira que se opõe resolutamente às acusações caluniosas dos Estados Unidos e de outros aliados que criticam seu país por espionagem econômica, exigindo que Washington retire as acusações.

Pessoa diante de projeção de códigos em foto ilustrativa 13/05/2017 REUTERS/Kacper Pempel/Illustration

Reino Unido, Austrália e Nova Zelândia se uniram aos EUA para pressionar a China sobre o que chamaram de uma campanha global de roubo de propriedade intelectual comercial via ciberataques, sinalizando uma crescente coordenação global contra a prática.

Os EUA também devem retirar acusações contra dois cidadãos chineses, disse o ministério, acrescentando que a China nunca participou ou apoiou o roubo de segredos comerciais e apresentou “severas reclamações” a Washington.

“Pedimos que o lado norte-americano corrija imediatamente suas ações errôneas e cesse suas calúnias com relação à segurança na Internet”, afirmaram os chineses, acrescentando que tomarão as medidas necessárias para salvaguardar sua própria segurança cibernética e seus interesses.

Há muito tempo é sabido que as agências do governo norte-americano invadiram e monitoraram governos, empresas e indivíduos estrangeiros, acrescentou o ministério.

Promotores dos EUA acusaram dois cidadãos chineses, ligados à agência de inteligência do Ministério da Segurança do Estado da China, de roubar dados confidenciais de agências estatais e empresas norte-americanas em todo o mundo.

Os promotores acusaram Zhu Hua e Zhang Shilong de ataques contra a Marinha dos EUA, a agência espacial Nasa, o Departamento de Energia e dezenas de empresas. A operação mirava a propriedade intelectual e os segredos corporativos norte-americanos para dar às empresas chinesas vantagem competitiva injusta, disseram eles.

Os dois acusados eram membros de um grupo de hackers conhecido na comunidade de segurança cibernética como APT 10 e também trabalharam para a empresa chinesa de ciência e tecnologia de desenvolvimento Huaying Haitai, disseram os promotores.

A Reuters não conseguiu contatar imediatamente Zhu ou Zhang.

Questionado se a ira da China com as acusações virtuais teria impacto sobre as negociações comerciais com os EUA, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Hua Chunying, reiterou uma declaração do ministério de que se os norte-americanos não revisarem sua posição, as relações entre os dois países seriam seriamente prejudicadas.

Por Philip Wen

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below