for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Apple tem 'profundas preocupações' de que ex-funcionários acusados de roubo fujam para a China

03/01/2019 REUTERS/Leonhard Foeger

SAN JOSE, Califórnia (Reuters) - A Apple disse a um tribunal federal na segunda-feira que tem “preocupações profundas” que os dois ex-funcionários chineses acusados de roubar segredos comerciais da empresa tentem fugir antes de seus julgamentos se não forem monitorados.

Em uma audiência no Tribunal Distrital dos EUA no Distrito Norte da Califórnia, os promotores argumentaram que Xiaolang Zhang e Jizhong Chen deveriam continuar sendo monitorados porque apresentam riscos de fuga.

Os promotores federais alegaram que Zhang trabalhou no programa secreto de veículos autônomos da Apple e pegou os arquivos relacionados ao projeto antes de revelar que ele iria trabalhar para um concorrente chinês. Agentes federais prenderam Zhang no ano passado no aeroporto de San Jose, quando ele estava prestes a embarcar em um voo para a China.

Os promotores alegam que Chen tirou da Apple mais de dois mil arquivos contendo “manuais, esquemas, diagramas e fotografias de telas de computadores mostrando páginas dos bancos de dados seguros da Apple” com a intenção de compartilhá-los. Agentes o prenderam em janeiro em uma estação de trem a caminho do Aeroporto Internacional de São Francisco para uma viagem à China.

Os dois foram acusados de roubo de segredos comerciais e se declararam inocentes. Eles foram libertados sob fiança logo após suas prisões e estão sendo monitorados desde então.

A procuradora assistente dos EUA, Marissa Harris, argumentou que, se um deles fugisse para a China, seria difícil, senão impossível, para as autoridades federais garantir sua extradição para um julgamento. Três funcionários da Apple estiveram na sala de audiências para apoiar os promotores, incluindo Anthony DeMario, consultor estratégico do grupo de segurança global da Apple e veterano da Agência Central de Inteligência dos EUA.

Harris leu a declaração da Apple ao juiz distrital Edward J. Davila dos EUA em San Jose, Califórnia.

“A propriedade intelectual da Apple está no centro de nossa inovação e crescimento”, afirmou o comunicado. “A participação continua dos réus nesses processos é necessária para garantir uma determinação final dos fatos, e temos profundas preocupações de que os réus não verão o final disso se tiverem a oportunidade.

“Este não é um caso de espionagem”, disse o advogado dos réus. O governo “não está solicitando a detenção deles, está solicitando monitoramento de localização indefinidamente”.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up