for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Aquisições, captação de recursos e parcerias puxam comércio eletrônico na A.Latina em 2019, vê Credit Suisse

02/07/2019 REUTERS/Arnd Wiegmann

SÃO PAULO (Reuters) - Líderes de comércio eletrônico na América Latina estão desenvolvendo capacidade rapidamente por meio de aquisições ou parcerias estratégicas ainda mais que o desenvolvimento interno, constataram analistas do Credit Suisse em relatório a clientes, analisando números do setor em 2019.

“A captação de recursos, a atividade de fusão e aquisição e alianças estratégicas aceleraram significativamente”, destacou a equipe liderada por Antonio Gonzalez.

Citando uma série de operações no segmento, o Credit Suisse calculou que no acumulado do ano foram captados cerca de 3,8 bilhões de dólares em capital adicional na América Latina, sendo realizadas duas aquisições importantes e várias alianças estratégicas foram concluídas.

Os analistas também citaram que as empresas que adicionaram mais dólares às vendas totais (GMV) durante os primeiros nove meses de 2010 foram Mercado Livre e a Magazine Luiza, com Walmex, Liverpool e Via Varejo apurando os menores acréscimos.

Em termos absolutos, os maiores players são Mercado Livre e B2W, enquanto Liverpool e Walmex aparecem na ponta oposta.

Por Paula Arend Laier

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up