for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Fundador do SoftBank pode retirar oferta de exame gratuito de coronavírus após críticas

Logo do SoftBank em Tóquio 20/07/2017 REUTERS/Issei Kato

TÓQUIO (Reuters) - O fundador do SoftBank, Masayoshi Son, disse no Twitter nesta quarta-feira que oferecerá 1 milhão de exames gratuitos de coronavírus, apenas para ser atingido por uma enxurrada de críticas que afirmam que a ideia arrisca sobrecarregar o sistema de saúde.

Presidente-executivo do SoftBank, Masayoshi manifestou preocupação com o surto de coronavírus, dizendo aos seus seguidores no Twitter na terça-feira que ele estava planejando tomar providências.

“Gostaria de oferecer a oportunidade de exames de PCR gratuitos para aqueles que estão preocupados com o novo coronavírus”, escreveu Son nesta quarta-feira. “Primeiro, para 1 milhão de pessoas. Estamos preparando como eles podem ser aplicados”, disse ele, referindo-se aos testes de reação em cadeia da polimerase (PCR) que podem detectar infecções muito precoces.

A proposta, porém, foi recebida com críticas de que isso sobrecarregará o sistema de saúde.

Son disse que visitou o Ministério da Saúde do Japão, pois queria cooperar para que os exames não causassem qualquer ônus.

Mas cerca de duas horas depois de seu primeiro tuíte, ele afirmou na rede social que poderia reconsiderar a ideia devido ao retorno negativo.

“Como foi mal recebido, talvez eu não o faça ...”, escreveu.

O coronavírus se espalhou pelo mundo, com mais de 116 mil casos confirmados e 4 mil mortes até agora.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up