March 13, 2020 / 7:58 PM / 5 months ago

Empresas de data center testam funcionários para sobreviverem à corrida por home office

SÃO FRANCISCO, Estados Unidos (Reuters) - A pandemia de coronavírus fez muitas empresas do mundo correrem para soluções de computação em nuvem, principalmente para buscarem software que permite trabalho remoto.

Servidores de data centers. 7/8/2015. REUTERS/Sigtryggur Ari

Gestores de centrais de processamento de dados estão tomando a temperatura de empregados, limitando visitas, estocando alimentos, água e outros suprimentos para assegurarem suas operações.

Desde que surgiu na China no fim de 2019, a agora pandemia de coronavírus matou mais de 5 mil pessoas, chegando a mais de 130 países.

“É uma época triste e complicada, mas do ponto de vista de negócios, está sendo incrível para a gente”, disse Simone Merlini, dono de uma empresa de serviços de tecnologia na Itália, país mais atingido da Europa pela epidemia.

Para muitas empresas que ainda dependem de computadores e software em seus escritórios, a solução diante de restrições a viagens e deslocamentos é recorrer a serviços prestados por centrais de processamento de dados, que podem armazenar informações e transmiti-las para usuários em qualquer parte.

A Digital Realty Trust, que opera 210 centrais de processamento de dados no mundo, afirmou que está monitorando a temperatura de funcionários em Cingapura e Hong Kong, uma vez que um dos sintomas do coronavírus é febre.

Globalmente, a empresa exige que a limpeza de áreas muito tocadas pelos funcionários, como maçanetas e leitores biométricos, seja feita com soluções de álcool 70%. A DRT também está assegurando que seus data centers tenham quartos de dormir para os funcionários, além de comida, água e combustível suficientes para até 72 horas.

A VMWare, grande fornecedora de ferramentas de software para trabalho remoto, afirmou que dividiu seus funcionários em grupos menores “para cobrir turnos adicionais e ter backups” para ter “presença física ininterrupta” em suas centrais de dados.

Os 200 data centers da Equinix agora também estão fazendo checagens de temperatura e questionários de viagens dos funcionários. A companhia afirmou que vai passar a administrar remotamente qualquer data center com um caso confirmado do vírus e que os trabalhadores de outras centrais podem assumir as funções em caso de quarentena deles.

Elizabeth Peichel, uma porta-voz da Critical Environments Group, que cuida de sistemas de energia e resfriamento para centrais de dados, afirmou que embora alguns clientes tenham suspendido a visitação a suas instalações, alguns sistemas inevitavelmente vão precisar de manutenção.

Já a empresa de pesquisa de mercado TrendForce afirmou que os preços de alguns componentes para servidores subiram 5% a 20% por causa da alta demanda.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below