for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Procuradores-gerais dos EUA pedem à Amazon dados sobre mortes e infecções de funcionários por Covid-19

19/03/2020. REUTERS/Dado Ruvic

WASHINGTON (Reuters) - Um grupo de 13 procuradores-gerais dos Estados Unidos pediu à Amazon nesta terça-feira que forneça dados sobre infecções e mortes relacionadas ao coronavírus em sua força de trabalho, juntamente com evidências de que a empresa segue as leis de licença médica paga.

Em uma carta nesta terça-feira, as autoridades pediram dados do número de trabalhadores da Amazon, incluindo os da Whole Foods, que foram infectados e morreram de Covid-19 em cada Estado do país.

A carta foi liderada pela procuradora-geral de Massachusetts, Maura Healey, incluindo outros estados como Connecticut, Illinois, Maryland, Michigan, Minnesota, Nova York, Pensilvânia e Washington.

O mesmo grupo de procuradores-gerais havia escrito para a empresa em março solicitando que ela melhorasse sua política de férias remuneradas.

Nesta terça-feira, eles pediram garantias de que a Amazon não retaliará contra seus funcionários por levantarem preocupações com a administração, a imprensa, colegas de trabalho e agências governamentais sobre questões de saúde e segurança.

Nas últimas semanas, a Amazon demitiu pelo menos quatro funcionários por levantar preocupações sobre a segurança no local de trabalho. A empresa disse anteriormente que os trabalhadores foram demitidos por violar o protocolo interno da empresa.

A Amazon não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Por Krystal Hu e Nandita Bose

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up