for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Ericsson sinaliza perdas com contratos de redes 5G na China

25/02/2019 REUTERS/Rafael Marchante

ESTOCOLMO (Reuters) - A Ericsson espera uma depreciação no segundo trimestre de cerca de 1 bilhão de coroas suecas (109 milhões de dólares) em estoques de produtos na China, informou a fabricante de equipamentos de telecomunicações nesta segunda-feira.

A empresa, que ganhou contratos 5G de três grandes operadoras da China, disse esperar margens brutas negativas na China no trimestre, refletindo os altos custos iniciais dos novos produtos.

A Ericsson havia alertado em seus resultados do primeiro trimestre que uma parcela crescente de contratos estratégicos prejudicaria a lucratividade no segundo trimestre, principalmente devido às margens brutas negativas na China.

A baixa contábil da Ericsson provavelmente está associada a produtos gratuitos dados às empresas de telecomunicações chinesas e não é uma situação única e precisa ser levada em consideração nas estimativas de margem bruta, disseram analistas do JP Morgan em nota a clientes.

“Esse sempre foi um problema com os contratos da China, em nossa opinião, que causam problemas de margem bruta. Embora este anúncio não seja uma surpresa, os investidores desejam mais clareza sobre a extensão do impacto”, afirmou o banco de investimentos.

A Ericsson, que manteve metas financeiras para 2020 e 2022, disse que, embora a implantação de redes 5G na China afete os resultados no curto prazo, espera-se que ela tenha rentabilidade saudável ao longo da vida dos contratos.

Por Helena Soderpalm e Supantha Mukherjee

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up