for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Quarenta por cento dos norte-americanos apoiam decreto de Trump sobre TikTok

Logotipo do TikTok ladeado por bandeiras da China e dos Estados Unidos. 16/7/2020. REUTERS/Florence Lo

WASHINGTON/NOVA YORK (Reuters) - Quarenta por cento dos norte-americanos apoiam a ameaça do presidente Donald Trump de proibir o aplicativo de vídeos TikTok se este não for vendido a um comprador dos EUA, mostrou pesquisa Reuters/Ipsos, sugerindo que muitos concordam com as medidas para separar a empresa de mídia social de sua dona chinesa.

A pesquisa divulgada nesta segunda-feira, que entrevistou 1.349 adultos nos Estados Unidos, descobriu que 40% apoiaram o recente decreto de Trump, que força a ByteDance a vender suas operações TikTok nos Estados Unidos até 15 de setembro. Cerca de 30% dos entrevistados disseram ser contra a medida, enquanto outros 30% disseram que não sabiam.

As respostas estão amplamente alinhadas de acordo com o partido do entrevistado, e muitos daqueles que concordaram com o decreto de Trump disseram não saber muito sobre o TikTok. Entre os republicanos, 69% disseram apoiar a decisão do presidente, mas apenas 32% disseram estar familiarizados com o aplicativo. Já entre os democratas, 21% também apoiaram o decreto de Trump e 46% disseram estar familiarizados com o TikTok.

Os números sugerem que a maioria dos norte-americanos tinha apenas “um conhecimento passageiro da marca”, disse Dipanjan Chatterjee, vice-presidente e principal analista da Forrester Research. Chatterjee disse que as atitudes negativas são provavelmente resultado da retórica pública em torno de TikTok - e do aumento das tensões com Pequim.

“Claramente houve uma politização do TikTok”, disse ele.

Os norte-americanos também pareciam ser mais críticos da empresa chinesa do que das empresas de tecnologia dos EUA: 47% dos entrevistados disseram ter posições muito desfavoráveis, um pouco desfavoráveis ou “inclinam-se para desfavoráveis” em relação ao TikTok. Porém, apenas 11% disseram ter impressões igualmente desfavoráveis da Amazon - a maior varejista online do mundo que está enfrentando acusações de comportamento anticompetitivo de ambos os lados do espectro político dos EUA.

A pesquisa Reuters/Ipsos foi realizada online, de 25 a 27 de agosto nos Estados Unidos. A pesquisa tem margem de erro de cerca de 3 pontos percentuais.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up