for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Ações da Zoom disparam; Wall Street alerta sobre riscos

Imagem de videoconferência por meio do aplicativo Zoom application. 7/6/2020. REUTERS/Athit Perawongmetha

(Reuters) - Analistas de Wall Street elevaram o preço-alvo das ações da Zoom Video nesta terça-feira, com os papéis atingindo máxima recorde, mas alertaram que o retorno ao trabalho presencial pode prejudicar seu sucesso em atrair pequenos clientes corporativos.

As ações da Zoom chegaram a subir 47%, a 478 dólares, com corretoras aumentando o preço-alvo em uma média de 161 dólares depois que a empresa divulgou ótimos resultados trimestrais e aumentou sua previsão de receita anual.

Os números também indicam que uma das histórias de sucesso durante a pandemia do coronavírus é transformar sua enorme base de usuários gratuitos em dinheiro.

A vice-presidente financeira Kelly Steckelberg disse que a receita da Zoom cresceu tão rapidamente que é difícil continuar investindo no mesmo ritmo.

Os setores de maior crescimento da empresa durante o segundo trimestre foram educação, organizações sem fins lucrativos, manufatura e saúde, disse à Reuters nesta terça-feira.

“Com a ZM agora claramente estabelecida como líder global do mercado, seu sucesso abre um caminho mais claro para competir no mercado corporativo”, escreveram os analistas da Rosenblatt.

O analista do JPMorgan Sterling Auty, no entanto, alertou que a taxa de rotatividade para os pequenos clientes de alto risco da Zoom aponta para o risco de uma retração na receita à medida que a pandemia fique para trás.

“A aceleração do crescimento vem cada vez mais do segmento de clientes mais arriscado”, disse ele. “Clientes com menos de 10 funcionários atingiram 36% da receita total no trimestre.”

As plataformas de videoconferência se tornaram uma parte vital da vida cotidiana de pessoas presas em casa sob as restrições relacionadas ao coronavírus, seja para trabalho, estudos ou para socializar. Mas correm risco de uma queda no uso, à medida que as pessoas voltam ao trabalho presencial.

Por Aakash Jagadeesh Babu, Aniruddha Ghosh e Akanksha Rana

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up