August 22, 2018 / 2:49 PM / a month ago

Bancos de investimentos estão indecisos sobre fechamento de capital da Tesla

(Reuters) - A avaliação pelo presidente-executivo da Tesla, Elon Musk, de um negócio de 72 bilhões de dólares para fechar o capital da montadora de carros elétricos está apresentando um dilema para os bancos de investimentos: ignorar as preocupações sobre a viabilidade do negócio ou se arriscar a perder o que pode ser a maior e mais importante aquisição de alto perfil deste ano.

Volante da Tesla e foto ilustrativa 06/07/2017 REUTERS/Kim Hong-Ji

Musk não apenas pegou investidores e analistas desprevenidos no início do mês, ao anunciar no Twitter que estava considerando fechar o capital da fabricante de carros elétricos dos Estados Unidos. Ele também chacoalhou o mundo dos bancos de investimento, que reagiu às notícias com entusiasmo e perplexidade.

Isso ocorre porque nenhuma empresa do tamanho da Tesla teve seu capital fechado por investidores financeiros, como Musk sugeriu, em vez de ser adquirida por uma empresa maior. Além disso, o método padrão de fazer isso, sobrecarregar a empresa com dívidas na chamada compra alavancada, não é uma opção para a Tesla, uma vez que tem uma dívida de cerca de 11 bilhões de reais e não está fazendo dinheiro. A Tesla registrou prejuízo operacional de 1,6 bilhão de dólares no ano passado.

O debate sobre a viabilidade do acordo polarizou os banqueiros. Durante uma teleconferência realizada em um banco de investimentos na semana passada, a discussão sobre se o acordo representava uma grande oportunidade ou uma tolice acabou em gritaria, segundo uma executivo de um banco que forneceu os detalhes sob a condição de que seu nome e do banco fossem mantidos em sigilo.

“Dado o tamanho de um acordo, a capacidade de endividamento e o fluxo de caixa da empresa, os banqueiros parecem igualmente preocupados com o fato de o acordo acontecer em breve”, disse Stefan Selig, ex-executivo do Bank of America e fundador da firma de assessoramento financeiro e estratégico BridgePark Advisors LLC, que não está envolvida no negócio.

Os banqueiros que desejam assessorar o negócio estão cortejando Musk e o comitê especial do conselho da Tesla, que irá considerar de forma independente os méritos da oferta esperada de Musk.

Trabalhar para Musk também pode implicar risco para a reputação, já que a Securities and Exchange Comission (SEC), orgão regulador dos mercados dos EUA, está investigando a precisão da afirmação de Musk no Twitter de que o financiamento da operação estava garantido, disseram fontes.

No entanto, muitos banqueiros disseram que isso não seria um impedimento, dada a magnitude do possível acordo.

Musk, que detém cerca de 20 por cento da Tesla, disse em um post em um blog na semana passada que o tamanho efetivo do acordo seria muito menor do que a avaliação de 72 bilhões de dólares da oferta, porque, segundo sua estimativa, dois terços dos acionistas da empresa devem escolher a opção de “rolar” suas participações e continuar como investidores da empresa de capital fechado, em vez de embolsar os ganhos.

Musk também disse que o fundo soberano da Arábia Saudita, que se tornou acionista da Tesla no início deste ano, com participação de apenas 5 por cento, poderia ajudá-lo a financiar a parte em dinheiro do negócio.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below