for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Baidu se torna 1ª empresa chinesa a integrar grupo de inteligência artificial dos EUA

Sede da Baidu em Pequim, China 17/12/2014 REUTERS/Kim Kyung-Hoon/File photo

PEQUIM (Reuters) - A empresa chinesa de buscas online Baidu se tornou a primeira companhia chinesa a participar de um grupo de inteligência artificial liderado por empresas dos Estados Unidos, em meio a choques políticos gerada pela competição de ambos os países na área.

A Parceria em Inteligência Artificial (PAI), grupo que conta com Google, Apple e Facebook, é um órgão que desenvolve diretrizes éticas para pesquisa de inteligência artificial, incluindo garantir que a pesquisa não viole convenções internacionais ou direitos humanos.

No ano passado, o Ministério da Indústria da China nomeou a Baidu como uma das quatro campeãs nacionais em IA, e a empresa de buscas investiu pesadamente em tecnologias de direção autônoma e aprendizagem de máquina nos últimos anos.

“A admissão da Baidu representa o início da entrada da PAI na China. Continuaremos a adicionar novos membros chineses e de todo o mundo à medida que crescemos”, disse o grupo em comunicado.

A inclusão da Baidu no grupo acontece no momento em que as empresas chinesas e norte-americanas buscam aumentar a cooperação em inteligência artificial, apesar de uma disputa política entre os dois países por causa de transferência de tecnologia.

Apesar do confronto, as empresas norte-americanas expandiram sua presença na China, enquanto a Baidu e outras companhias chinesas lançaram laboratórios de pesquisa de inteligência artificial nos EUA. Google, Amazon e Microsoft também abriram laboratórios de IA na China em 2017.

Por Cate Cadell

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up