April 26, 2019 / 7:10 PM / 8 months ago

Hamas muda tática de financiamento com bitcoin, destacando risco das criptomoedas

LONDRES/JERUSALÉM (Reuters) - O braço armado do Hamas está usando métodos cada vez mais complexos para angariar fundos via bitcoin, disseram pesquisadores, destacando as dificuldades enfrentadas por reguladores no rastreamento do financiamento em criptomoeda de equipamentos designados por alguns como grupos terroristas.

Ilustração de bitcoin 08/12/2017 REUTERS/Benoit Tessier A collection of Bitcoin (virtual currency) tokens are displayed in this picture illustration taken December 8, 2017. REUTERS/Benoit Tessier/Illustration/File Photo

As Brigadas Izz el-Deen al-Qassam, com sede em Gaza e proscritas pelos Estados Unidos e pela União Europeia, pedem a seus partidários que doem usando a moeda digital em uma campanha de arrecadação de fundos anunciada online no final de janeiro.

Originalmente, pedia aos doadores que enviassem bitcoins para um único endereço digital.

No entanto, de acordo com uma pesquisa compartilhada com a Reuters pela empresa líder de análise de blockchain, Elliptic, nas últimas semanas ela mudou o mecanismo, com seu site gerando uma nova carteira digital a cada transação.

Isso torna mais difícil para as empresas em todo o mundo manter o controle sobre o financiamento de criptomoedas do grupo, disseram os pesquisadores. Uma única carteira digital pode ser “marcada” para operadoras de criptomoedas, em teoria permitindo-lhes impedir que fundos sejam movidos através de seus sistemas para esse destino.

Mas uma carteira diferente para cada doação torna essa chamada marcação muito mais complicada, disse Elliptic.

Entre 26 de março e 16 de abril, 0,6 bitcoin - avaliado em cerca de 3.300 dólares - foi enviado para as carteiras criadas pelo site, segundo pesquisa da Elliptic. A campanha de captação de recursos de quatro meses levantou cerca de 7.400 dólares, a empresa disse.

Um porta-voz do Hamas, que governa o território palestino de Gaza desde 2007, se recusou a comentar sobre a pesquisa da Elliptic.

Esses fundos são uma fração das dezenas de milhões de dólares em financiamento anual que Israel e os Estados Unidos dizem que o Hamas recebe do Irã. No entanto, a campanha dá uma ideia de como um grupo proscrito tem lidado com a captação de recursos de bitcoin.

“Eles ainda estão em fase de experimentação - vendo o quanto eles podem aumentar, e se isso funciona”, disse o co-fundador da Elliptic, Tom Robinson.

O Irã não detalhou publicamente o financiamento do Hamas, apesar de não negar seu apoio ao grupo. O Hamas disse que Teerã é o maior apoiador das Brigadas Al Qassam.

Exemplos de campanhas de financiamento de criptomoeda por grupos proscritos são raros. Mas a pesquisa ressalta as dores de cabeça para as empresas do setor emergente na identificação e eliminação da exposição a moedas digitais potencialmente contaminadas, mesmo à medida que as ferramentas de rastreamento de criptomoedas ficam mais sofisticadas.

Lidar com o uso ilegal é visto como vital para que as criptomoedas deixem de ser moedas de nicho e especulativas e se tornem ativos comuns. A maioria das grandes empresas financeiras evitou o bitcoin e seus parentes, com a lavagem de dinheiro sendo a principal preocupação.

Reportagem por Tom Wilson e Dan Williams em Jerusalém; Reportagem adicional de Nidal al-Mughrabi em Gaza

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below