July 10, 2019 / 3:38 PM / 3 months ago

Hambúrguer de US$280 mil produzido em laboratório pode custar US$10 em dois anos

Por Andrés González e Silke Koltrowitz

05/06/2019 REUTERS/ - RC1AB79FFA20

MADRI/ZURIQUE (Reuters) - A carne cultivada em laboratório, apresentada ao mundo pela primeira vez há seis anos na forma de um hambúrguer de 280 mil dólares, pode chegar às prateleiras dos supermercados por 10 dólares a unidade dentro de dois anos, disseram empresas europeias à Reuters.

Consumidores preocupados com a mudança climática, o bem-estar animal e sua própria saúde estão estimulando o interesse pela chamada carne limpa, e o número de novas startups subiu de quatro no final de 2016 para mais de duas dezenas dois anos depois, segundo um estudo de mercado do The Good Food Institute (GFI).

A alternativa de carne de origem vegetal também está crescendo. As ações da fabricante Beyond Meat mais do que triplicaram em valor desde sua oferta pública inicial em maio. A Beyond Meat e a Impossible Foods, venderam 100% de sua carne vegetal para varejistas e redes de fast food nos Estados Unidos. No Brasil, grupos como Superbom, Fazenda Futuro e a gigante Seara, da JBS, também investem no segmento.

A carne cultivada a partir de células animais pode ser a próxima no cardápio, porque seus produtores buscam aprovações de reguladores enquanto melhoram tecnologia e reduzem custos.

O co-fundador da empresa holandesa Mosa Meat, Mark Post, criou o primeiro hambúrguer de carne cultivada em 2013, a um custo de 280 mil dólares, financiado pelo co-fundador do Google, Sergey Brin. No entanto, a Mosa Meat e a espanhola Biotech Meats dizem que os custos de produção caíram drasticamente desde então.

“O hambúrguer era tão caro em 2013, porque na época era uma nova ciência e estávamos produzindo em uma escala muito pequena, uma vez que a produção aumenta, projetamos que o custo para produzir um hambúrguer seria em torno de 9 euros”, disse o porta-voz da Mosa Meat à Reuters, acrescentando que pode ser ainda mais barato do que um hambúrguer convencional no futuro.

A co-fundadora da Biotech, Mercedes Vila, também destacou a importância da passagem da fase de laboratório para a fabril.

“Nosso objetivo é atingir a produção em escala e ter aprovação regulatória até 2021”, disse Vila.

Ela acrescentou que o custo de produzir um quilo de carne cultivada em laboratório é de cerca de 100 euros, significativamente menos do que os 800 dólares citados há um ano pela Future Meat Technologies, uma empresa de biotecnologia israelense que recebeu financiamento da processadora de carne norte-americana Tyson Foods.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below