August 20, 2019 / 12:48 PM / 2 months ago

B2W aprova aumento de capital de R$2,5 bi

SÃO PAULO (Reuters) - O conselho de administração da B2W aprovou na segunda-feira aumento do capital social da companhia, para subscrição privada, de 2,5 bilhões de reais, com emissão de 64.102.565 novas ações ordinárias.

09/05/2016 REUTERS/Paulo Whitaker

O preço de 39 reais por papel na subscrição representa um desconto de 7,69% em relação ao fechamento da ação na segunda-feira, de 42,25 reais

Em aviso a acionistas a empresa disse que o aumento tem como objetivo “melhorar a estrutura de capital, mantido o compromisso de geração de caixa, permitindo que a companhia siga investindo na plataforma digital e acelerando o seu crescimento”.

A B2W, controlada pela Lojas Americanas,afirmou que vem investindo fortemente nos pilares fundamentais do seu negócio, principalmente tecnologia, logística e distribuição, para fazer frente aos desafios do e-commerce no Brasil.

“O plano estratégico em curso (2017-2019) visa a acelerar o processo de transformação da companhia em uma plataforma digital híbrida, que é a melhor combinação entre e-commerce (1P), marketplace (3P) e serviços digitais”, afirmou a empresa.

A Lojas Americanas, que detém atualmente 61,51% da B2W, comprometeu-se a exercer o direito de preferência para a subscrição das ações, na proporção da sua participação no capital da companhia, bem como a subscrever até a totalidade do eventual saldo de ações não subscritas no aumento de capital.

Por volta das 10:25, as ações da B2W caíam 1,2%, a 41,75 reais, enquanto os papéis da Lojas Americanas recuavam 2,7%, a 17,27 reais. No mesmo horário, o Ibovespa cedia 1%.

Analistas do Itaú BBA afirmaram que, dada a atual alavancagem financeira da B2W, o aumento de capital não é uma surpresa, mas o timing foi inesperado.

“Em nossa opinião, a melhoria da plataforma logística da empresa é essencial para assegurar a sustentabilidade de seu crescimento, impulsionado principalmente pela expansão da plataforma de mercado”, disse em nota a clientes.

Para a equipe da Brasil Plural, apesar de achar a notícia positiva para a B2W, o principal problema da empresa ainda é a sua estrutura desequilibrada de venda de recebíveis, que afeta constantemente a lucratividade geral.

No caso da Lojas Americanas, os profissionais da Brasil Plural alertam para o risco de descontentamento dos investidores pelo fato de mais caixa estar indo para a B2W em uma época em que o varejista tradicional está tentando reequilibrar seu ciclo de caixa após o difícil período macroeconômico brasileiro.

Com a operação, o capital social da B2W será elevado de 5,75 bilhões de reais para 8,25 bilhões de reais, dividido em 521.669.247 ações ordinárias, nominativas e sem valor nominal, sem alteração estatutária.

De acordo com o comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o acionista titular de 1 ação no dia 22 de agosto terá o direito de subscrever 0,140094476984 (14,0094476984%) ação no âmbito do aumento de capital. O direito de preferência deverá ser exercido a partir do dia 23 de agosto, inclusive, e até o dia 21 de setembro, inclusive.

As ações adquiridas a partir do dia 23 de agosto de 2019 (inclusive) não farão jus ao direito de preferência pelo acionista adquirente, sendo negociadas ex-direito de subscrição.

O percentual de diluição para os acionistas que não subscreverem nenhuma ação durante o período para exercício de direito de preferência do aumento de capital será de 12,28797085%.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below