August 24, 2019 / 6:06 PM / 4 months ago

França diz que plataformas de mídia social ainda assinarão promessa sobre discurso de ódio

BIARRITZ, França (Reuters) - A França disse estar otimista de que as plataformas de mídia social dos Estados Unidos, incluindo Facebook e Snapchat, ainda assinem um compromisso de combater o discurso de ódio online, apesar de um atraso de última hora.

A França, que recebe a cúpula do G7 em Biarritz, esperava inicialmente fazer com que os gigantes das mídias sociais assinassem a chamada “Carta para uma Internet Aberta, Gratuita e Segura” na sexta-feira, segundo o programa oficial.

No entanto, a cerimônia não ocorreu e a rádio Europe 1 disse que o presidente dos EUA, Donald Trump, pressionou os executivos das plataformas a não assinarem publicamente a promessa. Washington mais tarde negou qualquer pressão desse tipo.

O ministro júnior da indústria digital da França disse no sábado que a assinatura só foi adiada e ocorrerá na segunda-feira.

“A ideia inicial era fazer com que as plataformas chegassem a Biarritz e até agora os Estados Unidos eram contra a assinatura dessa promessa”, disse Cedric O a repórteres.

“Diplomaticamente, era sensível fazer com que as plataformas norte-americanas chegassem a Biarritz e assinassem algo enquanto o presidente norte-americano não estivesse lá”, disse ele, acrescentando que Google, Facebook e Snapchat estavam entre as plataformas que assinariam a carta.

“Não há dúvida de que as redes sociais assinarão o compromisso”, disse Cedric O.

Em Washington, no entanto, um alto funcionário do governo Trump disse que o governo dos EUA não tinha posição sobre a iniciativa e não havia pressionado as empresas norte-americanas a não assinar. De fato, o oposto ocorreu, disse o funcionário.

“Certamente não houve pressão da nossa parte”, disse o funcionário à Reuters. “Ouvimos de algumas empresas que eles se sentiram intimidados pela França para se juntar.”

O funcionário disse que a indústria se uniu para enfraquecer a iniciativa. A Casa Branca, enquanto isso, ainda a avaliava. “Certamente tem seus méritos”, disse a autoridade.

A Carta pretende criar um movimento coletivo que garanta transparência e cooperação para o uso seguro e positivo da internet, afirmou a presidência francesa do G7.

Reportagem de Marine Pennetier, Michel Rose e Jeff Mason

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below